O sino e a cidadezinha

989

Neste 23 de junho, apresentaremos poesia de nossa querida terra, Macaé, que tem como Padroeiro São João… Salve São João! Salve nossa querida Macaé!!! E aqui apresentamos poesia de nossa Mentora, a saudosa Laurita de Souza Santos Moreira que cantou como ninguém nossa querida Macaé. Texto de 1994.

O SINO E A CIDADEZINHA
Laurita de S. Santos Moreira

Que mundo de alegria!
Canta núpcias, batizados e primeira comunhão,
na mais completa euforia
seu gargalhar anuncia
Blem, blim, blão!
Quirieleisão!
Oh!
O sino, o sino…
Está o sino a dobrar
ele tange a soluçar
pra alguém que não vai voltar
está chorando a cantar…
Blem… Blim… Blão…
Na cidade pequenina
está o sino a tocar
em seu badalo fluente
parece vir perguntar:
“- Aqui quem é que manda?
Sou eu é que vou mandar!”
São seis horas da manhã
com sua voz imponente
ele acorda toda a gente:
“- Levanta, vamos rezar!
Louva a deus!
Vai trabalhar!”

Quando chega meio-dia…
Que festival de alegria!
No sonoro badalar:
Blimblemblão!
Blimblemblão!
Na hora da Ave-Mavir
Com que musical poesia
Ele nos chama a orar…
Acabou-se de hoje a lida
agora é descansar!!!
A cidade cresceu tanto…
Não há mais sino a despertar,
nem voz de sino a rezar.
Cresceu tanto a coitadinha
que o sino até calou.
Crescendo tudo mudou.
Ela acorda… Ela caminha…
Já se governa sozinha
já não sabe mais rezar…
Oh! Pobre cidade minha!

cigarrasmacae@gmail.com