Impasse adia mudança de famílias para o Bosque Azul

0
1600
Famílias cobram explicações do poder público sobre os motivos que atrasaram a entrega de algumas unidades

Moradores da W30 do Lagomar, que já assinaram contrato, seguem sem saber quando irão ter autorização para mudar

Não é de hoje que moradores da W30, no bairro Lagomar, e o poder público vivem um impasse por conta da desapropriação da área, que compõe a Zona de Amortecimento do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. Como solução, a prefeitura decidiu demolir as casas e remanejar os moradores para as unidades do Conjunto Habitacional Prefeito Carlos Emir, no bairro Bosque Azul.

Contudo, algumas famílias seguem sem saber quando poderão se mudar. Essa semana, uma moradora da W30 procurou o jornal O DEBATE para denunciar a situação que ela, e alguns de seus vizinhos, vivem por conta da falta de transparência do governo municipal.

“Assinei o contrato em dezembro de 2017, tenho ordem de mudança mas não posso me mudar. Para piorar, estou há três meses pagando o valor de R$ 80 e não sei quando vou poder ir para lá. Aqui na minha rua já se mudaram 21 famílias, mas eu ainda estou sem saber quando irão me autorizar. Não sei o porquê disso. O real motivo para essa demora é o que eu me pergunto todos os dias. Queremos saber porque já assinamos o contrato no banco e já estamos pagando. Quando procuramos a prefeitura, ela não dá explicação, só manda aguardar”, diz Maria Helena.

A moradora diz que desde que algumas casas foram demolidas quem ainda vive por lá enfrenta problemas por conta da falta de infraestrutura. “Desde que fizeram isso as nossas casas estão sendo invadidas por ratos enormes. A gente quer se mudar o quanto antes e não pode”, lamenta.

Procurada pela nossa equipe de reportagem, a secretaria Adjunta de Habitação disse que está atuando para que os beneficiários contemplados, e que já assinaram contrato, realizem a mudança o quanto antes para o Conjunto Habitacional Prefeito Carlos Emir Mussi. Ela ressaltou que a ação depende apenas da liberação da quadra cinco pela construtora, o que já está sendo solicitado via Procuradoria do Município.

O Condomínio Bosque Azul é fruto de uma parceria com o Governo Federal. Além de famílias do Lagomar, as unidades foram construídas para beneficiar pessoas que vivem em áreas de riscos na cidade, como a comunidade Águas Maravilhosas, na Linha Azul, e na Ladeira de Santana, no Morro de Santana.

A primeira fase foi inaugurada em 2016. Os apartamentos foram construídos em blocos, com 16 apartamentos em cada. As unidades têm 40 metros quadrados, dois quartos, sala, cozinha e banheiro. As quadras têm infraestrutura de esgotamento sanitário e águas pluviais; asfaltamento; calçadas e iluminação pública.