Vias no Novo Horizonte aguardam serviço de melhorias

352
Prefeitura diz que intervenções nesses locais estão contempladas dentro de um processo a ser licitado

Falta de manutenção prejudica a acessibilidade. Moradores cobram do poder público o recapeamento de ruas

Em meio a tantos problemas decorrentes da falta de infraestrutura no Novo Horizonte, a acessibilidade é um dos itens que precisam melhorar, segundo o relato dos moradores. Recentemente, um grupo deles procurou o jornal O DEBATE para mostrar os transtornos que o abandono do poder público tem gerado no cotidiano no bairro.

Um dos pontos mais críticos fica nas ruas E11, E12 e E13, onde a pavimentação é precária. O problema foi denunciado no início do ano passado, contudo, até hoje nenhuma providência foi tomada e a situação permanece a mesma.

“As ruas estão péssimas. Uma vergonha. Enquanto isso, os bairros em volta possuem asfaltamento. Não sei se outros moradores procuraram a prefeitura para reclamar, o que posso dizer é que um vereador já fez o pedido nos órgãos responsáveis. Eles alegam que não fazem por causa das chuvas, pois pioraria a questão dos alagamentos. Só que tem localidades piores que já foram pavimentadas”, diz o morador Hugo.

Quando chove, a situação ali não é diferente dos outros locais da cidade onde não há infraestrutura. Os moradores precisam enfrentar a lama para entrar ou sair de suas casas. Já em dias de sol, é poeira e os buracos que causam problemas para quem vive ali.

Uma moradora da Rua E-12, que pede sigilo do nome, relata que o acesso está cada dia pior. “Está tudo esburacado, abrindo crateras no meio da rua. Cada vez mais difícil passar de carro aqui, ainda mais se estiver chovendo. No ano passado os moradores colocaram faixas protestando, mas o poder público nada fez”, relembra.

Lembrando que a manutenção das vias está prevista dentro do Código Brasileiro de Trânsito (CBT), que garante que é dever das autoridades promover um trânsito seguro e de qualidade. De acordo com o Art. 1º, “o trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e dever dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito, a estes cabendo, no âmbito das respectivas competências, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito”.

A nossa equipe de reportagem entrou em contato com a prefeitura que, em nota, explicou que as intervenções nesses locais estão contempladas dentro de um processo a ser licitado pelo governo municipal. O projeto está em fase de conclusão para que a tramitação legal seja iniciada em breve.