Moradores voltam a cobrar conclusão de unidade de saúde

0
864
Prefeitura diz que aguarda nova licitação para a contratação de empresa que irá concluir as obras na unidade

Previsão inicial era de que UBS fosse inaugurada entre 2015 e 2016. Quase quatro anos depois, local segue abandonado

De acordo com a Constituição Brasileira de 1988, os serviços de saúde são um direito que cada cidadão tem, seja ele de classe média ou baixa. Com isso, com a demanda grande nos hospitais, os postos de saúde acabam sendo uma alternativa que surgiu para facilitar a vida das pessoas. Mas em Macaé, quem reside em Vila Badejo ressalta que o sonho de ter esse tipo de atendimento no bairro segue longe de se tornar realidade.

Quase um ano depois da nossa última visita ao local, o que a nossa equipe de reportagem pôde ver é que nada mudou por lá. Os moradores continuam reclamando que a obra da Unidade Básica de Saúde (UBS), que começou a ser feita em 2015, está longe de ser concluída. “Esse posto de saúde era para ser entregue em 2015/2016. Uma obra de mais de R$ 1 milhão completamente abandonada. O mato tomou conta do local, está tudo largado. Agora inventaram que tem que fazer outra licitação, pois a empresa que começou parou alegando não ter verbas. É uma pena ver isso assim, pois é dinheiro nosso, vindo dos nossos impostos. Para onde está indo o recurso do Governo Federal?”, questiona Araken Sabino.

Atualmente quem reside na Vila Badejo é atendido na UBS do Aeroporto, localizado a mais de um quilômetro do bairro. Vale lembrar que os serviços de Saúde foram criados pelo Ministério da Saúde e têm como objetivo reorganizar a atenção básica em uma determinada localidade. Um dos objetivos desse serviço é evitar que a população precise se deslocar para locais mais distantes nos casos menos graves.

Além disso, de acordo com o Ministério da Saúde, as UBS têm como objetivo atender até 80% dos problemas de saúde da população, que muitas vezes são resolvidos nos hospitais, causando, assim, o aumento na demanda e a demora nos atendimentos. Além de descentralizar os casos de menor urgência nos hospitais, elas facilitam o acesso das pessoas, que não precisam se deslocar para locais mais distantes. E faz parte da atenção primária junto às Equipes de Saúde da Família.

Procurada pela redação do Jornal O DEBATE, a prefeitura informou que a Secretaria de Saúde esclarece que algumas obras foram paralisadas no município por problemas com a empreiteira contratada responsável pela construção e entrega das mesmas, como é o caso da UBS de Namorado (Vila Badejo).

A fim de dar continuidade aos trabalhos, ela alega que as providências cabíveis foram adotadas e a expectativa é que a publicação do aviso sobre a nova licitação seja realizada nos próximos dias. Por cumprir etapas administrativas legais inerentes ao processo, no momento, a prefeitura diz que não é possível precisar prazos.

A Unidade Básica de Saúde (UBS), na Vila Namorado tem um investimento da ordem de R$ 1.435.162,42 por meio de convênio com o Governo Federal.