Macaé fecha postos de trabalho, mas saldo do ano ainda é positivo

375
Macaé mantém saldo positivo, com 888 postos de trabalho criados no primeiro quadrimestre

Em abril, número de demissões voltou a superar o quadro de admissões

Após registrar, por dois meses seguidos, saldos positivos na geração de postos de trabalho, Macaé volta a demitir mais, que admitir, de acordo com dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho.

Atualizados nesta semana, o balanço aponta que, em abril, 110 vagas foram encerradas na cidade. No entanto, o saldo geral do ano segue positivo, com mais de 800 postos abertos.
De acordo com o Caged, apenas neste ano, mais de 11,9 mil contratações foram registradas na cidade em quatro meses. Neste período, ocorreram também pouco mais de 11 mil demissões.

Os dados do Caged indicam que as áreas de auxiliar de escritório e de serviços gerais, com salário médio de R$ 1.107,30, assim como de montador de andaimes (R$ 2,5 mil) e pintor de estruturas metálicas (R$ 3,2 mil) foram as que mais demitiram em abril, na cidade. Juntas, essas três qualificações que possuem relação direta com a dinâmica do petróleo local fecharam quase 60 postos de trabalho.

Apesar de negativo, o saldo registrado por Macaé em abril deste ano é menor que o balanço indicado pelo Caged, em relação a abril do ano passado. No mesmo mês, em 2017, a cidade amargou o fechamento de mais de 883 postos de trabalho.

Os dados do Ministério do Trabalho apontam que, neste ano, as áreas que abriram mais postos de trabalho também estão ligadas à dinâmica offshore.

Apesar de terem sido as qualificações que mais demitiram em abril, auxiliar de escritório, montador de andaimes e pintor industrial foram as vagas que mais contrataram em Macaé neste ano, gerando assim a criação de quase 500 postos de trabalho.

De acordo com especialistas do setor, novas demandas de serviços apresentadas pela Petrobras, dentro das operações na Bacia de Campos, geram a renovação de contratos e abrem mais oportunidades de negócios para empresas sediadas na cidade. E isso gera a abertura de empregos.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Petróleo (Abespetro), a nova dinâmica do mercado do petróleo nacional deve recuperar 500 mil postos fechados em três anos, além de abrir mais 250 mil novos postos em todo o país, na área offshore.

Macaé

Balanço dos empregos – 2018

Mês – Saldo
Janeiro – 178
Fevereiro – 678
Março – 498
Abril – 110
Total – 888