Licitação para conclusão de escola do Lagomar é adiada

0
664
O edital para a licitação que seria realizado na sexta-feira (13) está no valor de mais de sete milhões

De acordo com informações, a nova data ainda será divulgação. No momento o TCE está analisando o edital

Segue sem data definida a retomada da obra do Colégio Estadual Carlos Walter Marinho Campos, no Lagomar, em Macaé. Uma nova licitação para retomada da obra que estava prevista para a última sexta-feira (13) foi adiada e uma nova data ainda será definida. A informação é de que o procedimento não pôde ser feito porque o edital está sob analise do TCE.

A obra está parada há anos e já deveria ter sido entregue desde 2014. De acordo com informação publicada recentemente no Diário Oficial do Estado, a liberação de verbas da Secretaria de Educação em benefício da Empresa de Obras Públicas do Estado (EMOP) seria de R$ 7.324.079,60.

Ainda de acordo com as informações, caso a licitação tivesse ocorrido no último final se semana, a previsão era de que a empresa vencedora entregasse a obra até o fim do ano. É importante lembrar que quando foi iniciada em 2013, a construção da unidade estava orçada em 13,5 milhões. Dessa forma, se vir de fato a ser concluída, o valor total da obra será de um pouco mais 20 milhões.

Caso tivesse acontecido, a Licitação para a contratação de obras de conclusão da construção da escola teria sido realizada no último dia 13, na sala de licitações da EMOP, no Campo de São Cristóvão, nº 138-sala 321, em São Cristóvão/RJ.

Vale lembrar que a obra da unidade – que inicialmente iria receber o nome de Colégio Estadual Maria Yedda Leite Linhares – foi anunciada em 2011 pelo governo municipal, tendo sido reafirmada em 2012 pelo governador Sérgio Cabral. Já a sua construção foi agilizada apenas em fevereiro de 2013, através da intervenção do então secretário estadual de Agricultura, deputado estadual Christino Áureo (PSD), quando anunciou a consolidação do projeto, que foi reformulado com objetivo de se tornar o primeiro na região Norte Fluminense para garantir a formação bilíngue (inglês/português).

Se finalizada, a obra estará orçada em mais de 20 milhões, tendo 13,5 milhões investidos no inicio da construção e mais de sete milhões investidos agora para a conclusão. Todo esse montante vai oferecer aos estudantes uma escola com capacidade para 800 alunos e um ensino médio regular.

Quando concluída a escola terá 20 salas de aula, laboratórios, biblioteca, quadra de esportes e refeitório, além de laboratórios de ciência e de informática, sala de artes, auditório, biblioteca e ginásio, visando atender as demandas dos estudantes do ensino médio e ampliação da rede na região. Em princípio funcionará em três turnos, atendendo alunos do Ensino Médio regular.