Governo lidera gabinete de crise para controlar o caos

400
Objetivo é concentrar informações e evitar que boatos elevem a sensação de insegurança - Foto Márcio Siqueira

O governo municipal assumiu na última quarta-feira (10) a liderança do gabinete de crise, composto também por representantes das Polícias Federal, Civil e Militar, com objetivo de conter o caos na cidade, formado pela propagação de informações inverídicas sobre os desdobramentos das operações mantidas no Lagomar e em outras áreas de risco da cidade.

A partir de agora, a equipe do governo municipal passa a emitir informações oficiais sobre os trabalhos coordenados por cada instituição que compõe a força de segurança em atuação na cidade, reduzindo assim a divulgação de boatos, imagens e informações falsas sobre a operação de enfrentamento aos membros da facção ADA (Amigos dos Amigos) que seguem entrincheirados na região do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, no Lagomar.

Além do prefeito Dr. Aluízio (PMDB), o gabinete é composto também pelo Delegado da Polícia Federal de Macaé, Felício Laterça, pela comandante do Grupamento Aeromóvel (GAM) do Comando Geral da Polícia Militar, a tenente-coronel Clarissa Antunes e do subcomandante do 32º Batalhão de Polícia Militar, o major Hudson Salgado. “Não haverá omissão de parte alguma. A responsabilidade pela segurança não é mais apenas do Estado, é de cada um de nós que vamos trabalhar para garantir a segurança da cidade. E isso depende também das informações verdadeiras, e do enfrentamento aos boatos que geram o caos”, disse o prefeito.

No encontro com a imprensa, os representantes das forças de segurança garantiram que a situação segue sob controle na cidade. Os esforços estão concentrados agora na prisão dos membros da facção criminosa que espalharam o terror na cidade, na última terça-feira (9). “Nós contamos também com o apoio da população que precisa nos auxiliar nesse enfrentamento. Espalhar boato é fácil e rápido. Precisamos agora que os olhos, ouvidos e os celulares estejam apontados para esses bandidos que serão presos. A situação na cidade está controlada”, garantiu Felício Laterça.

A comandante do GAM afirmou que as duas aeronaves de captura de imagens aérea e de combate seguem na cidade por tempo indeterminado. “O nosso trabalho é ajudar a localizar o bando, afastá-los da mata para que possam ser capturados pelas equipes em terra”, disse a tenente-coronel Clarisse.

Na reunião uma homenagem foi prestada ao Cabo José Renê Araújo Barros, de 35 anos, que morreu em combate no Lagomar, na terça. “Neste momento, em que concentramos esforços para garantir a segurança na cidade, uma família se prepara para sepultar o corpo de um soldado tombado em combate, que cumpriu o seu papel até o fim. É preciso prestar essa homenagem e garantir que a ordem será restabelecida na cidade”, afirmou o subcomandante do 32º BPM.