Frente Parlamentar lança “Operação Marca Buraco”

408
Vereador convidou a população a participar de ato, em tom de protesto, para cobrar obras

Líder da Frente Parlamentar Macaé Melhor, o vereador Maxwell Vaz (Solidariedade) lançou na última quarta-feira (06) a campanha “Operação Marca Buraco”. A ideia do parlamentar é chamar atenção do Executivo para os problemas de infraestrutura que se espalham por todos os bairros e comunidades da cidade

Durante a sessão ordinária da Câmara Municipal esta semana, com uma lata de tinta em spray nas mãos, Maxwell defendeu a proposta, convidando os moradores da cidade para fazerem vídeos pintando os buracos e publicar nas redes sociais.

“É lamentável a situação vivida por todos nós macaenses. Estamos em um município que arrecada mais de R$ 2 bilhões por ano, só na semana passada o governo suplementou superávit de R$ 95 milhões. Como aceitar ou defender uma gestão que não prioriza as necessidades de todos nós cidadãos? Para onde está indo todo esse dinheiro?”, questiona o parlamentar.

A campanha será realizada pelo site do vereador, pelo Facebook e também pelo Whatsapp. Maxwell explicou que basta as pessoas pintarem o buraco de amarelo para participar da campanha. “Vocês podem pegar uma tinta em spray e pintar o buraco. Depois grava o seu vídeo e manda para gente. Hoje mesmo vou sair para pintar alguns”, contou, lembrando que os buracos têm causado prejuízos aos motoristas e motociclistas.

Os vídeos produzidos podem ser enviados para o Whatsapp do mandato do vereador, que é o (22) 99609-4817.

O parlamentar afirmou que a medida visa garantir que investimentos em infraestrutura sejam garantidos para bairros e comunidades que sofrem com o problema.

Desmatamento

Na terça-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente, a Câmara Municipal de Macaé aprovou um requerimento denunciando desmatamentos na Região Serrana. A proposição, de Marcel Silvano (PT), solicita esclarecimentos à Guarda Ambiental e às secretarias de Meio Ambiente e de Interior.

“Percorrendo a rodovia na região, há vários pontos onde é possível ver verdadeiras ações criminosas, por exemplo, na mata do Parque do Atalaia”, disse o autor. A falta de vegetação no entorno de nascentes afeta o fornecimento de água. “Tomei conhecimento de estudos que indicam risco de desabastecimento para as fábricas e para o consumo da população”, acrescentou Marcel.

Maxwell Vaz (SD) afirmou que desde 2010 propõe a desapropriação das áreas em volta das fontes que, segundo ele, estão desprotegidas. “É mais um elemento para reforçar a proibição do desmatamento”. Na mesma sessão, foi aprovado outro requerimento de Marcel denunciando a retirada ilegal de areia de rio em Córrego do Ouro.