Caminhada política de Claudio Moacyr lembrada pelo falecimento há 24 anos

0
1269

Os 24 anos do falecimento do brilhante advogado e líder político Claudio Moacyr de Azevedo – ele faleceu em 04 de agosto de 1995 – foi lembrado pela família, por alguns políticos e companheiros que durante muitos anos acompanharam a vitoriosa trajetória percorrida por ele, considerado um dos mais importantes líderes que surgiram nas décadas de 60, 70 e 80.

O deputado estadual Chico Machado (PSD) publicou, no último domingo (4), em suas redes sociais: “Há 24 anos, Macaé perdia um grande líder. Dr. Cláudio Moacyr, foi um grande responsável pela notoriedade de Macaé no cenário estadual. O prefeito mais novo da história de Macaé, nos representou também por cinco mandatos na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), chegando a ser presidente da Casa. Cláudio Moacyr instalou em Macaé a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FAFIMA), conseguiu aprovar a emancipação político-administrativa de Quissamã e também foi responsável pelas obras de construção do bairro Parque Aeroporto (CEHAB). Um exemplo a ser seguido, na sua vontade de fazer e no seu grande amor por Macaé”, disse o parlamentar.

Para quem não conheceu o advogado, Claudio Moacyr se elegeu prefeito de Macaé com 30 anos, pelo MDB (Movimento Democrático Brasileiro), em 1966. Fazia comícios e campanha de porta em porta, propagando principalmente os ideais de liberdade. Ele combatia as medidas de exceção no plano federal quando o governo exercido por militares havia determinado eleições indiretas para governadores de estado e a cassação do mandato de vários parlamentares e influentes figuras da política.

Sua primeira eleição para deputado estadual ocorreu em 1970, conseguindo a reeleição cinco vezes consecutivas até 1990, chegando a ocupar o cargo de presidente da Assembleia Legislativa.

Uma das homenagens consideradas mais importantes e que perpetua seu nome, foi o surgimento do Palácio Claudio Moacyr de Azevedo, no antigo prédio da prefeitura onde ele exerceu o cargo e, posteriormente, passou a ser o prédio da Câmara Municipal de Macaé. O Estádio Municipal da cidade também leva o seu nome.

Filho de Alvaro Bruno de Azevedo e Zelita Rocha de Azevedo, ele nasceu em 14 de dezembro de 1935. Faleceu em 1995, aos 59 anos, vítima de complicações decorrentes de uma cirurgia no coração, deixando saudades e se tornando um exemplo a ser seguido pelos gestores que hoje estão no poder.