Buscas

324

Buscas
Ontem pela manhã (29) motoristas macaenses telefonaram, à exaustão, para os postos da cidade, acreditando que a estratégia da intervenção federal do Estado, montada para garantir o reabastecimento do combustível através de escolta policial, já tivesse surtido efeito na Capital Nacional do Petróleo. Mas, por enquanto, todos os 28 postos seguem sem gasolina, álcool ou diesel, uma situação que persiste e que só deve mudar dentro de uma semana.

Preço
Após o governo anunciar a redução de R$ 0,46 sobre o diesel, será a vez dos postos de gasolina aderirem à estratégia montada como forma de encerrar a paralisação dos caminhoneiros. Porém, como cada região do país possui um valor de mercado, a medida pode não surtir o efeito desejado. Em Macaé, se a redução for realmente aplicada pelos estabelecimentos, o preço do litro do combustível sairá por R$ 3,62. Os caminhoneiros ainda acham alto.

Apoio
Surpreendeu o número de pessoas que participaram do ato, em apoio aos caminhoneiros, realizado na noite de segunda-feira (28), na Avenida Nossa Senhora da Glória, na Praia Campista. Com apitos, faixas e bandeiras com as cores do Brasil, o grupo marchou em direção ao Posto BR, situado em frente ao acesso a Unidade de Operações da Bacia de Campos. A alta tributação do governo sobre o preço do combustível é algo que afeta a rotina de toda a sociedade.

Recurso
E a prefeitura se reuniu com donos de postos de gasolina e com o comando do 32º Batalhão de Polícia Militar com o objetivo de garantir a escolta policial para caminhões que deixam a Refinaria de Duque de Caxias e seguirem para Macaé, afim de reabastecer os tanques dos postos da cidade. Porém, a medida precisa de uma autorização direta da intervenção federal, algo que ainda deve demorar, já que a ação visa atender prioritariamente a cidade do Rio de Janeiro.

Segurança
Enquanto o caos do desabastecimento de instala, a população volta a ficar à mercê da ação de bandidos, que aderiram ao novo método de assalto. Agora, os alvos principais são pedestres e ciclistas que trafegam por pontos escuros ou sem a vigilância da Polícia Militar. O trecho entre a Rodovia Amaral Peixoto e o acesso ao Novo Cavaleiros tornou-se um dos locais mais perigosos, isso sem falar nos arredores da Praia Campista e da Imbetiba.

Transporte
Mais utilizado nos últimos dias em função da escassez do combustível, a frota do transporte público de Macaé permanece reduzida em 60% nesta quarta-feira (30), de acordo com a nota atualizada ontem (29) pela SIT. A empresa vem buscando alternativas para tentar driblar a falta do diesel, recorrendo até a bases de autoviações situadas em outras cidades. A prefeitura também anunciou que as aulas nas escolas públicas estão suspensas.

Estoque
Alguns hortifrutis da cidade conseguiram renovar o estoque de hortaliças, frutas e legumes. O estabelecimento principal da cidade, situado no Centro, estava com as prateleiras vazias desde o final de semana. É bom lembrar que a população precisa ficar de olho nos preços. A qualquer indício de superfaturamento é preciso guardar a nota, e fazer a denúncia junto ao Procon de Macaé, que fica no quinto andar do CEALO, ao lado da prefeitura.

Emprego
A expectativa é a de que Macaé mantenha saldo positivo na geração de postos de trabalho ao longo do ano. Apesar de não representar um volume capaz de recuperar os mais de 30 mil postos encerrados nos últimos três anos, a nova fase dos empregos na cidade representa sim a superação da crise, através da nova dinâmica do setor de óleo e gás. E com o Brasil voltando para os eixos, em breve, a sociedade local vai poder respirar aliviada. Assim todos esperam!

Manutenção
Moradores do Jardim Guanabara voltaram a solicitar intervenção da secretaria municipal de Infraestrutura, com objetivo de recuperar trechos da via principal do bairro, que também é um dos acessos dos carros que migram pela Estrada Norte/Sul, e que desejam retornar para a Rodovia Amaral Peixoto. Além disso, o local carece de limpeza e conservação das vias. Vale lembrar que o bairro é novo, fruto de um loteamento.