Projeção da ANP considera contratos da rodada zero que foram prorrogados por até 27 anos

Os doze contratos da rodada zero de concessões prorrogados pela ANP visando à revitalização de campos maduros demandarão investimentos de US$ 29 bilhões em até 27 anos. A projeção foi feita por Marcelo Castilho, superintende de Desenvolvimento e Produção da agência, durante apresentação na OTC Brasil na quarta-feira (30/10), no Rio de Janeiro.

Os aportes previstos envolverão toda a cadeia, desde o fornecimento de bens e serviços até a exploração. “Cada contrato tem um prazo de prorrogação próprio, podendo chegar a 27 anos. Então, esperamos que, durante esse período, a cadeia receba esses investimentos”, destacou.

Os contratos compreendem concessões offshore (Marlim, Marlim Leste, Marlim Sul, Frade, Voador, Ubarana, Jubarte, Roncador), e onshore (Fazenda Alegre, Araçás, Canto do Amaro, Estreito). A ANP já recebeu 65 pedidos de postergação de contratos de ativos maduros. Dos 53 hoje em análise, dez estão no mar e 43 em terra.

Na reunião desta quinta-feira (31/10), a ANP deve deliberar sobre a redução a redução da alíquota de royalties para 5% na produção incremental de campos maduros. A agência analisa 40 pedidos nesse sentido.

Atualmente, há 241 campos maduros no Brasil, sendo que mais de 50% deles estão com contratos ativos. A expectativa é que os desinvestimentos da Petrobras contribuam para sua revitalização, com a entrada de novos players que priorizem seu desenvolvimento.

2 COMENTÁRIOS

  1. Em tempo. No exemplo anterior a Petrobras está propondo está propondo fazer unidades totalmente EPCI, isto é a unidade vem completa e o epcista entrega a chave para Petrobras (https://extra.globo.com/noticias/economia/petrobras-quer-reduzir-tempo-entre-descoberta-inicio-da-producao-para-1000-dias-24052205.html) . Hoje a Petrobras se ocupa pelo gerenciamento entre diversas parte do processo da construção da unidade pelo melhor preço, isto é, fugindo de investimentos em empregos no Brasil. Sabemos que o Brasil não tem condições de concorrer com estaleiros Chineses ou Coreanos. A equipe econômica do governo atual não tem compromisso com o pais em gerar empregos. Podemos ter uma grande geração de emprego fora mas não no país.

  2. Revitalização de campos maduros é bom para economia mas deve ser entendido que revitalização diminui a movimentação de emprego após implementação. São diversos alvos a serem atingidos com a revitalização. Uma delas e a principal é manter ou alavancar a produção de campos sem investimento. Outro alvo é diminuir os custos drasticamente que podem ser através de redução de unidades com centralização. Neste caso, os postos de trabalho são reduzidos drasticamente. Veja o caso de Marlim que será reduzido de 7 unidades para duas. As duas novas unidades ocuparam a mesma quantidade de posto de trabalho de duas unidades antigas ou talvez até menos se for bem automatizada.

Comments are closed.