Sem acordo, rodoviários da SIT mantêm paralisação em Macaé

0
1084
Usuários de transporte urbano de Macaé reclamam da redução de frota no segundo dia de paralisação

Usuários de transporte urbano de Macaé enfrenta caos no segundo dia de paralisação e movimento intenso é registrado durante todo o dia

No primeiro dia útil do movimento dos rodoviários, os macaenses começaram a sentir os efeitos da greve. Muitos pontos de parada dos coletivos pelo Centro e bairros adjacentes já estão lotados de passageiros. Os rodoviários aderiram à paralisação desde a zero hora da última terça-feira (25). Nesta quarta-feira (26), a população sentiu ainda mais o reflexo da paralisação e foram constatados a redução da frota que circulava por toda a cidade.

Na manhã desta quarta-feira (26), usuários reclamavam da demora de ônibus que chegava a quase uma hora e meia. Muitos trabalhadores estão sendo prejudicados devido a alteração da rotina por causa da greve.

Uma passageira que mora no Bairro do Alto da Glória, que preferiu não ser identificada, disse que a situação para quem depende do transporte urbano está cada vez mais complicada devido a redução da frota.

“Como o ônibus passou 8h40 na porta aqui de casa, achei que estava normal. Ontem (terça-feira) fui de Uber, mas sem condições de utilizar o aplicativo todo dia. Pensando que estava tudo bem, fui para o ponto às 9h05 e fiquei aguardando o que passa 9h20. Só que passou 5, 10, 20 minutos e nada. Acabei ficando quase 1h e a linha de ônibus C41A só passou lá às 9h53. Cheguei atrasada no trabalho”, disse a passageira, que desabafa: “O motorista não era o da linha. Acho que por conta de ter apenas um de três carros circulando, ele ainda veio dirigindo em alta velocidade. A gente entende a luta deles, mas o poder público e a SIT precisam resolver logo isso porque a população está sendo prejudicada”.

Em nota, a prefeitura de Macaé informou que, a Polícia Militar está estabelecendo ordem na cidade e garantiu que 80% da frota está circulando no município, conforme determinação da Justiça do Trabalho, em decisão emitida na última terça-feira (25). A Justiça do Trabalho determinou o funcionamento de 80% do transporte urbano coletivo e 90% da frota escolar em todo município. O objetivo é garantir o direito constitucional de ir e vir (artigo 11 da Lei 7783/89). O não cumprimento da decisão resultará em pena de multa diária de R$50 mil para o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Cargas e Passageiros de Macaé.