Problemas no transporte público é tema de debate na Câmara Municipal

0
393
Marvel também cobrou a aplicação da Lei do Bolsa Atleta

Requerimento aprovado solicita relatório detalhado de manutenção dos veículos que circulam na cidade

Mais uma vez, o transporte público foi tema de debate na sessão ordinária desta terça-feira (3), na Câmara Municipal. Dessa vez, o requerimento aprovado foi do vereador Robson Oliveira (PSDB), que denunciou a precária condição da frota utilizada pela empresa SIT, concessionária do transporte público na cidade. Ele pediu à Mesa Diretora que solicite o relatório detalhado de manutenção dos veículos, além de informações sobre a quantidade de ônibus em circulação em Macaé.

O vereador informou ter recebido inúmeras denúncias de usuários, que se dizem obrigados a viajar em ônibus sujos e com bancos danificados, além de quebrarem frequentemente durante o trajeto. “Ontem tivemos mais relatos de ônibus enguiçado na cidade, o que provoca engarrafamentos e coloca em risco a integridade física dos profissionais da empresa e dos usuários”, alertou Robson.

Os parlamentares Maxwell Vaz (SD) e Márcio Bittencourt (MDB) apoiaram a iniciativa, reforçando os prejuízos aos cidadãos. “Vários pacientes perderam consultas no SUS ontem, por causa desse problema na Barra. A pessoa espera por várias semanas e quando chega o dia da consulta é surpreendida por essa situação”. Maxwell também lembrou que o prefeito Aluízio dos Santos Júnior (sem partido) prorrogou – por decreto e não por licitação – o contrato com a SIT até 2025.

Audiência pública

Aprovada na sessão desta terça-feira (3), a audiência pública para ouvir as demandas dos servidores municipais será realizada na última segunda-feira do mês (30), às 18h, no plenário da Câmara Municipal de Macaé. A proposta foi feita pelo vereador Marvell Maillet (Rede) e aprovada por todos os parlamentares presentes. “Vamos fazer um apanhado das principais reivindicações e espero que o governo envie algum representante para tomar ciência dos relatos e pedir providências”, disse o autor do requerimento.