População denuncia invasão em prédio histórico na orla

1085
Desativado, desde que a Petrobras cancelou o contrato de aluguel, imóvel histórico foi arrombado e saqueado - Foto: Sylvio Savino

Preocupados com a segurança no bairro, moradores da Imbetiba voltaram a denunciar essa semana o abandono do antigo Hotel ‘Balneário de Imbetiba’, que é tombado pelo Patrimônio Histórico do Município. Situado na Avenida Elias Agostinho, o local, que já foi alugado pela Petrobras, teria sido arrombado e invadido por vândalos.

“Por mais de uma década ele ficou alugado para a Petrobras. Só que a empresa devolveu o imóvel aos antigos donos e desde então segue fechado. Só que, recentemente, ele foi arrombado e está sendo saqueado por algumas pessoas. Todas as benfeitorias feitas estão comprometidas por conta disso. O nosso medo é que esse espaço vire reduto de moradores em situação de rua e, o pior, por usuários de drogas. Precisamos que alguém tome alguma providência o quanto antes a fim de evitar o pior”, diz um morador, que pede sigilo do nome.

O presidente da Associação de Moradores, Marcelo Peixoto, relata que o local já estaria servindo de abrigo. “Antes eles estavam na parte de trás, agora arrombaram a parte da frente e fizeram uma limpa lá dentro. Eu mesmo entrei e limpei tudo. Tirei papelão, colchonetes e até facas, que foram entregues à Guarda Municipal. Tinha tudo de ruim lá dentro. O negócio aqui na orla está ruim”, conta.

Até mesmo funcionários da empresa dizem ter medo de circular pelo local, principalmente à noite. “Com o prédio aberto, qualquer um pode entrar nele, podendo alguma pessoa de má-fé se esconder ali para assaltar ou até mesmo fazer algum tipo de maldade. A gente vê tanta coisa ruim acontecendo que fica até com medo de algo acontecer com a gente ou algum colega de trabalho. Você não sabe quem pode estar lá dentro”, relata uma funcionária. “A gente tem evitado passar por ali quando escurece por questão de segurança, principalmente sozinha. Eu que sou mulher só ando por ali acompanhada. Esperamos que o dono do imóvel faça algo e providencie o isolamento do prédio”, completa.

Há cerca de um ano e cinco meses, o jornal O DEBATE já havia denunciado uma situação semelhante a relatada pelo morador. Na época, a população reclamava de moradores em situação de rua que estariam ‘morando’ na orla, na parte externa abandonada do antigo hotel.

A nossa equipe esteve no local e comprovou as denúncias. O problema estava gerando diversos contratempos aos frequentadores do local e moradores, que cobravam soluções do poder público.

Sem condições dignas de sobrevivência, essas pessoas estavam deixando a orla suja e com forte odor de urina e fezes, já que estavam fazendo as suas necessidades na areia da praia, além de cozinhar no local. Apesar das inúmeras reclamações dos moradores, ao invés de melhorar, a situação só tem se agravado com o passar do tempo.

“Eles continuam morando aqui. Somente na manhã desta terça-feira (26), contei 18 pessoas ali. Os banhistas estão reclamando bastante porque eles estão fazendo suas necessidades na areia. Eles não respeitam ninguém”, lamenta Marcelo.

Em nota, a Petrobras informou que o prédio do antigo Hotel Imbetiba não está mais sob responsabilidade da companhia. O edifício foi reformado durante a vigência do contrato de locação e suas chaves foram consignadas em Juízo em 15/09/2016.

Patrimônio Histórico de Macaé

Construído por volta de 1889, o antigo ‘Balneário de Imbetiba’, já foi considerado o hotel mais importante de Macaé no século XX. Na época, o espaço contava com ampla área de lazer, com grande salão de visitas e bilhar, além de uma belíssima vista para o mar.

Em 2003 o imóvel foi alugado para a Petrobras para ser utilizado, a princípio, como salas de reunião. Em 2009, ela fez uma grande reforma e o prédio passou a sediar as atividades culturais e encontros técnicos da estatal.