PM registra mais um homicídio no Imburo

0
992

Crime foi registrado na noite de última terça-feira (17), por volta das 20h30, próximo ao Aterrado do Imburo, em Macaé

Desde o último fim de semana, a Polícia Militar registrou 10 assassinatos na área de abrangência do 32° BPM de Macaé. Entre as cidades estão Conceição de Macabu, Rio dasOstras e Macaé. Na última terça-feira (17), a polícia contabilizou mais uma execução. Dessa vez, o crime foi registrado na Estrada do Imburo, na zona rural de Macaé.

Segundo a PM, a vítima, identificada como Johaz Lapa de Souza, de 18 anos, foi executado com vários tiros, em uma estrada deserta.
A Polícia Militar foi acionada e ao chegar no local constatou a morte do jovem. O corpo foi levado para o IML, após a perícia examinar a cena. O caso foi registrado na delegacia da cidade.

O grande número de homicídios em um curto espaço de tempo é preocupante e a população pede por medidas mais rígidas das autoridades. Moradores dos bairros onde esses homicídios foram registrados e pessoas que vivem em outras localidades do município estão apreensivas com a atual situação. Mesmo que alguns crimes sejam casos isolados, e possam ter sido motivados por acerto de contas, o medo se faz presente.

Tiroteio intenso – O clima na manhã de quarta-feira (18), era de preocupação e medo na comunidade Malvinas e Nova Holanda, isso porque, durante a madrugada, policiais e possíveis traficantes do local trocaram tiros por algumas horas. Foram momentos de verdadeiro pânico para os moradores da área, que não veem a hora desta insegurança acabar para que possam circular tranquilamente no local onde vivem.

Segundo informações dos agentes, o tiroteio ocorreu devido a entrada da polícia na comunidade, após uma denúncia de que havia traficantes no local.

Quando a guarnição chegou na comunidade da Malvinas, foi recebida a tiros por vários elementos que fugiram. A polícia disse ainda que, durante o confronto, ninguém ficou ferido e não houve prisões, nem mesmo materiais apreendidos.
Mesmo não havendo prisões, a polícia permaneceu nas comunidades na manhã de quarta-feira (18).