PM cerca Morro do Carvão para conter guerra de traficantes

1920
PM encontrou quatro pistolas, uma espingarda calibre 12, duas granadas e farto material entorpecente

Ao todo, 11 criminosos da facção criminosa do A.D.A foram detidos, após tentarem invadir a comunidade do Alto dos Cajueiros

Após várias guerras de facções criminosas nas comunidades macaense, em especial no Morro do Carvão, localizado no bairro Cajueiros, dezenas de policiais militares realizaram a Operação Ressonância, deflagrada pelo 6° Comando de Policiamento de Área (CPA), nos municípios de Macaé e Campos. Viaturas em comboios e agentes fortemente armados foram até uma residência, localizada no Alto dos Cajueiros, onde 11 criminosos da facção criminosa A.D.A estavam armados e prontos para invadir a comunidade do Comando Vermelho (C.V.) e assumir o controle da venda de drogas do local.

Segundo informações de moradores, antes da polícia chegar no local, traficantes trocaram tiros no início da manhã de terça-feira (10). Alguns comércios da localidade tiveram que fechar as portas dos estabelecimentos.

Ao localizar os criminosos de outra facção, a polícia encontrou com eles, quatro pistolas, uma espingarda calibre 12, duas granadas e farto material entorpecente. De acordo com o comandante do 32° Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Macaé, tenente-coronel Rodrigo Ibiapina, o objetivo da ação foi reprimir o tráfico de drogas e reduzir os indicadores criminais do Sistema Integrado de Metas.

Com gradil e veículos da PM, as forças de segurança montaram um bloqueio logo na subida do Morro do Carvão, onde todos os carros foram parados para identificação. Os veículos não estão sendo impedidos de subir, mas a orientação é que os motoristas evitem a região por conta da possibilidade de tiroteios.

Na semana passada, a Polícia Civil realizou a Operação Fora da Linha, que contou com a participação de outras delegacias dos municípios, onde um homem foi detido com drogas e armas.

Após a ação da Civil na comunidade, mais confrontos foram registrados na localidade e traficantes rivais trocaram tiros, com objetivo de tomar o território do tráfico de drogas.
Ao todo, 11 criminosos foram levados para a 123ª Delegacia de Macaé, onde permanecem presos.

Plano é asfixiar tráfico nas comunidades

Não é de hoje que traficantes que dominam diversas comunidades de Macaé têm deixado moradores dessas localidades assustados, onde o único objetivo desses criminosos é o território e ponto de venda de drogas.

Na Malvinas, Engenho da Praia e Lagomar, traficantes agem entocados na mata que liga a outras comunidades vizinhas. Moradores temem que a situação fique fora do controle, onde o medo já impera nessas localidades.

Para o comandante Rodrigo Ibiapina, mais da metade das comunidades de Macaé está submetida ao domínio de facções criminosas, cenário considerado perigoso. Neste mês de julho, as forças de segurança têm redobrado mais atenção para esses locais que são dominados pelas facções criminosas. Sendo assim, a ordem é asfixiar o tráfico e ocupar becos e vielas para uma estratégia da pressão máxima, com dezenas de policiais no local.

As ‘guerras’ vêm tomando força desde janeiro deste ano, onde traficantes rivais tentaram invadir o Lagomar e a Favela da Linha. No confronto, um policial e cinco bandidos morreram.