Léo Gomes: “não dá para ser candidato em um cenário de dor e sofrimento”

568

A portaria 353/2020 publicada na edição desta sexta-feira (5) do Diário Oficial Eletrônico do município marca uma mudança significativa no cenário político e pré-eleitoral de Macaé.
Ao registrar o retorno de Leonardo Gomes à secretaria municipal de Relações Institucionais, a publicação encerra a construção de uma candidatura sólida a futura composição da Câmara de Vereadores, através de um perfil que já começava a ganhar força ainda maior, por representar a resiliência de uma figura importante nos últimos 12 anos do cenário político da cidade.

No entanto, enquanto o projeto e o discurso político de Léo se consolidavam, a batalha travada pelo governo para enfrentar todos os aspectos nocivos à cidade gerados pela pandemia do Coronavírus se tornava ainda mais acirrada, forçando-o então a abrir mão da candidatura para auxiliar o prefeito Dr. Aluízio a conduzir processos e construir diálogos ainda necessários para amenizar a dor e o sofrimento de muitos macaenses.

“Sei que serei acusado de ter sido medroso. Mas, digo, tenho medo sim. Medo do coronavírus. E o coronavírus é maior que uma eleição. Não vejo clima nenhum em disputar eleições assim: empilhando corpos. Aliás, vinha constantemente falando em adiar as eleições”, escreveu Léo.

A relação próxima ao prefeito Dr. Aluízio já garantia Léo uma certa vantagem na construção da campanha eleitoral neste ano. No entanto, essa mesma parceria de trabalho e de vida, construída ao longo de 12 anos de vitórias e também de agruras, representa a base de uma decisão que mexe com todo o tabuleiro político da cidade.

“Por isso, é hora de ajudar a cidade. Ajudar o Prefeito e falar em união. Essa é a minha missão: conciliar e ajudar a organizar o futuro. Não é hora de divisão”, aponta.

E agora o governo passa a ganhar um discurso ainda mais fortalecido na defesa a vida e na construção de pontes para a superação da crise, o que coloca transforma debate eleitoral em algo até desumano, diante do que de fato Macaé precisa para superar o atual cenário.
“Volto para o governo com o mesmo cargo, mas, não com o mesmo formato, tamanho e intenções. Ser Secretário de Relações Institucionais é ser auxiliar direto do Prefeito. E ficar falando em candidatura, num momento desses seria covardia da minha parte. Volto para ajudar na travessia, na passagem. Volto com o coração em paz e de mãos estendidas. Volto para o futuro”, garante Léo.