Idealizador da Lei da Ficha Limpa advoga para colombiano alvo da PF acusado de corrupção

0
269

Marlon Reis, ex-juiz e idealizador da Lei da Ficha Limpa, está advogando para o colombiano Carlos Amastha, ex-prefeito de Palmas, que foi alvo de uma operação da Polícia Federal nesta sexta-feira, 24, acusado de corrupção no Instituto de Previdência Social de Palmas (PreviPalmas). Reis, que já foi candidato a governador do Tocantins e é conhecido por sua atuação em favor da ética na política, declarou que Amastha “nunca teve” ligação com as irregularidades investigadas e criticou a ação como “um ato absolutamente abusivo e injustificado”.

A defesa destacou que a operação ocorre em período eleitoral e alega que se trata de uma “ação política orquestrada” para prejudicar Amastha como pré-candidato a prefeito. “O que fica evidente é uma tentativa brutal de manchar sua imagem”, afirmou Reis. A nota ainda relembra que Amastha não ocupa cargos públicos há mais de seis anos, e seus recursos são provenientes de atividades privadas.

Marlon Reis, que depois de deixar a magistratura já passou por partidos como Rede Sustentabilidade, também comentou a descoberta de dinheiro nas diligências, afirmando que não há ilegalidade em movimentar recursos em espécie. “Ele e sua esposa são grandes empresários conhecidos no Tocantins e nacionalmente”, pontuou o advogado. A defesa confia que os documentos apresentados no processo comprovarão a inocência de Amastha de forma “cristalina”.

A Lei da Ficha Limpa, idealizada por Marlon Reis, é uma legislação que visa barrar a candidatura de políticos condenados por crimes graves, promovendo a moralidade na política. A nota encerra mencionando investigações anteriores, incluindo uma CPI e auditoria do Tribunal de Contas, que não encontraram envolvimento de Amastha nos casos investigados. “Isso será plenamente provado ao longo das investigações”, concluiu.