Financeiro

370

Os municípios produtores de petróleo vivem hoje uma nova realidade financeira em virtude da elevação dos repasses dos royalties do petróleo. E isso garante a permanência de acordos políticos firmados no passado, e mantidos até mesmo por novos gestores, eleitos em processos suplementares. Com mais dinheiro em caixa, as cidade podem resolver pendências. Isso, é claro, se as eleições deste ano e de 2020, não forem prioridades.

Sarampo

A proliferação do vírus do sarampo passa a ser uma preocupação efetiva para as autoridades de saúde pública, em especial, nas regiões que registram grande movimentação de estrangeiros. Devido ao turismo de negócios, Macaé passa a integrar uma rota de alerta sobre a possível identificação de casos de infecção, o que requer a prevenção. Por conta disso, o governo já prepara a vacinação da população que ainda não está imunizada contra a doença.

Convenções

Neste domingo, vence o prazo para a realização das convenções partidárias, que irão definir quem poderá participar das eleições deste ano. Até o dia 16, os candidatos deverão solicitar registro junto a Justiça Eleitoral. A campanha começa no dia 20 em todo o território nacional. Em Macaé, postulantes a vagas na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e na Câmara dos Deputados já preparam a militância que vai pra rua.

Brasília

A prefeita de Quissamã, Fátima Pacheco (PSL), tem aproveitado o clima de eleições de Brasília para conseguir, junto aos deputados federais e senadores, emendas ao orçamento da União para o próximo ano, que irão direcionar recursos para o município, financiando obras de infraestrutura e promovendo doações de veículos que ajudarão a renovar a frota de áreas como Saúde e Agricultura. Imagina se outros prefeitos da região tivessem essa disposição!

Pagamento

Nesta semana, Christino Áureo (PP) acompanhou o governador Pezão (MDB) em reunião com agentes de Brasília, com vistas a promover uma renegociação tributária, que poderá reforçar o caixa do Rio de Janeiro, liberando assim receitas que irão equilibrar o pagamento dos servidores estaduais. Essa é uma luta travada pelo deputado estadual desde que cumpriu a função de secretário da Casa Civil, em um momento bastante turbulento para a gestão fluminense.

Revitalização

Em Macaé, a população volta a exigir da prefeitura a realização de obras de revitalização de espaços públicos. Até mesmo a Praça Veríssimo de Melo, situada no Centro da cidade, precisa de um carinho, como a pintura e a limpeza geral, para remover os rastros deixados por pombos. Quem esteve no local em 1º de janeiro de 2013, lembra como foi marcante a posse do primeiro ano de mandato da atual “gestão da mudança”.

Desapropriação

Qual fim levou o processo de desapropriação da antiga sede do Clube Ypiranga? E quando será inaugurado o Cine Clube, em obras há uma década? Esses patrimônios culturais da cidade ainda estão longe do acesso da sociedade, que possui apenas o direito de assistir peças apresentadas no Teatro Municipal, que ainda não promove uma verdadeira transformação artística na cidade. Com o excesso dos royalties, isso poderia ser resolvido com mais facilidade.

Esgoto

E a cobrança da taxa de afastamento de esgoto ainda provoca muita dor de cabeça para moradores de áreas da cidade que sofrem com a falta de saneamento. Diante do risco de reajuste da tarifa, ainda em negociação entre a BRK Ambiental e o governo, os contribuintes ainda reclamam de pagar por um serviço não prestado. Sem a previsão de novos investimentos no saneamento, fica complicado manter esse tipo de tarifa.

Telefonia

Por mais que seja um problema antigo, as interferências de sinal no sistema de telefonia que funciona em Macaé ainda geram muita dor de cabeça para os usuários. Interrupções de ligações, redução da potencial de acesso à internet, entre outros transtornos, afetam a rotina de profissionais e da sociedade, que reclamam da falta de comprometimento das empresas que cobram caro por um serviço pouco eficiente. Fica então a reclamação registrada!