Falta de combustível altera programação na rodoviária

677
Movimento na rodoviária tende a ficar intenso por conta do feriado de Corpus Christi

Empresas estão reduzindo a frota até que a situação seja normalizada no país

Devido a situação no país, por conta da greve dos caminhoneiros, as empresas de ônibus que prestam serviço no município estão modificando a programação da sua frota. Com a aproximação do feriado de Corpus Christi, quinta-feira (31), a tendência é que a busca por passagens na Rodoviária de Macaé aumente, o que já vem ocorrendo, já sendo grande desde o início dessa semana.

Em nota, a Auto Viação 1001 informou que, por conta das dificuldades em abastecer, a frequência de algumas viagens da empresa poderá ser alterada ou cancelada. Em nota, ela explicou que a medida está sendo tomada para assegurar que os ônibus operem até a normalização do fornecimento de combustíveis.

Diante disso, a empresa está pedindo para que os passageiros se direcionem aos guichês para confirmarem possíveis alterações, conforme disponibilidade. Caso o cliente opte por não viajar, ele poderá fazer a remarcação de maneira gratuita, respeitando os seguintes períodos: rotas estaduais – 30 dias e rotas federais – 1 ano. Ela ressalta que, tão logo a situação seja normalizada, as operações retornarão ao padrão, o mais rápido possível.

Para quem pretende viajar na data, a orientação é para que compre a passagem com antecedência. Vale lembrar que a compra no guichê é apenas uma das opções. A maioria das empresas disponibiliza a compra pela internet ou telefone.

No caso da 1001, o bilhete pode ser adquirido pelo site da empresa: www.autoviacao1001.com.br. A compra também pode ser feita nas agências credenciadas para a venda de passagens, evitando assim as filas na rodoviária.

A SOCICAM, empresa que administra o terminal, sugere que o passageiro chegue com antecedência para evitar problemas.

Os usuários em Macaé devem ficar atentos à chegada dos ônibus na plataforma e aos avisos do sistema de som, já que não há possibilidade de parar os ônibus em plataformas com numeração determinada por causa da grande movimentação.