Escola da Bicuda volta a gerar debate sobre abandono da Serra

357
Vereadores aprovaram indicações de Marvel sobre demandas de escola pública da Bicuda

Sequência de indicações assinadas por Marvel Maillet tenta resolver impasse que afeta alunos

Uma sequência de indicações assinada pelo vereador Marvel Maillet (REDE), voltou a colocar em destaque no plenário da Câmara os problemas encarados pelo Colégio Tarcísio Paes de Figueiredo, situado na Bicuda. E o debate voltou a expor o cenário de abandono na Serra, relatado por parlamentares que atuam na região da cidade.

Nas indicações, Marvel solicita ao governo que sejam implantados refletores na quadra da escola, assim como a disponibilização de estrutura para música, parque infantil, a troca do mobiliário e a contratação de estagiários para cuidar da horta comunitária, criada na unidade.

De acordo com o parlamentar, as demandas surgiram na visita realizada no Colégio pela comissão de vereadores, há cerca de dois meses. “A escola está em uma nova unidade que precisa passar por essas intervenções. O pedido surge dos próprios alunos que voltaram as nos acionar, em função da falta de respostas para as demandas”, disse.

Marvel voltou a solicitar também ao governo que a antiga estrutura da escola, situada em frente a nova unidade, pode ser revitalizada, para atender a comunidade local. “É lamentável que uma estrutura daquela seja abandonada, enquanto as crianças precisam de mais espaço”, apontou.

O vereador George Jardim (MDB), que também atua na região serrana, afirmou que nada foi executado pelo governo na escola, mesmo após a atuação da comissão. “Apenas as duas crianças que estavam fora da sala de aula, devido ao bloqueio da estrada, voltaram à escola. Depois da nossa visita, o governo abandonou de vez aquele espaço que precisa sim da nossa atenção. As coisas em Macaé só acontecem por pressão, por isso as indicações do vereador são importantes”, disse.

Marcel Silvano (PT), que preside a Comissão Permanente de Educação da Câmara, afirmou que o relatório da visita à escola foi encaminhado ao Ministério Público, ao Conselho Tutelar e à secretaria municipal de Obras. “Agora, não há como dizer que os problemas da unidade eram desconhecidos. Estivemos lá, nos reunimos com os alunos e com os professores, identificamos os problemas e buscamos soluções. É tarefa do governo oferecer uma Educação de qualidade para os alunos que se sentem abandonados”, afirmou Marcel.

Já o vereador Luiz Fernando (PTC) apontou que a situação das duas crianças que estavam fora da sala de aula só foi solucionada, após denúncia registrada no Ministério Público. “Será que as coisas em Macaé só se resolvem quando a Justiça é acionada? Como é possível aceitar que uma cidade, com orçamento bilionário, permite que duas crianças fiquem sem estudar por causa de uma estrada? Não há defesa contra o abandono e a hipocrisia”, disse Luiz Fernando.

As indicações foram aprovadas por unanimidade pelos parlamentares, sendo encaminhada ainda nesta semana para o governo.