Equinor prevê 1.200 trabalhadores em atividade no campo de Peregrino no próximo ano

0
709

A empresa se prepara para instalar a nova plataforma de Peregrino, na Bacia de Campos. Por isso, a previsão é de uma grande demanda por diferentes tipos de atividades

A Equinor está em busca de novos negócios com a cadeia local de fornecedores. Como se sabe, a petroleira se prepara para instalar a nova plataforma de Peregrino, na Bacia de Campos. Por isso, a previsão é de uma grande demanda por diferentes tipos de atividades, conforme afirmou o chefe de Supply Chain da empresa no Brasil, Rafael Tristão. “Além da instalação de flowlines e do hook-up da plataforma C, também ocorrerá um período de alta atividade na unidade de produção, FPSO”, detalhou o executivo. Tristão acrescenta que serão realizados serviços de manutenção, reparo e modificações importantes para a segurança, desempenho e eficiência futura do campo. “Entre janeiro e maio de 2020 é esperado que mais de 1200 trabalhadores estejam simultaneamente envolvidos em diversas atividades”, declarou. Questionado sobre a indústria naval brasileira, Tristão lembra que a Equinor vai executar três grandes projetos até o final da próxima década e que as estratégias de contratação desses empreendimentos “serão decididas ao longo desse período, conforme situação do mercado”.

Rafael Tristão informa ainda que a Equinor espera investir no Brasil aproximadamente 15 bilhões de dólares até 2030, com metas de aumentar sua produção de 3 a 5 vezes, e com base em seu portfólio atual podendo chegar a 300 a 500 mil barris por dia. Atualmente, quase 90% dos produtos e serviços adquiridos pela Equinor Brasil são de origem nacional ou de fornecedores estabelecidos no país. A maior parte desses produtos e serviços atende as operações de Peregrino, que é o único campo com ativos operados pela Equinor Brasil. Para o próximo ano, o foco da empresa será iniciar as operações da segunda fase de Peregrino, com a instalação da terceira plataforma. Olhando mais para frente, a empresa trabalhará para começar a operar no campo de Carcará no pré-sal, em 2023/2024, além de continuar os esforços para participar da construção de cadeias de valor para o gás e também em energias renováveis.

Em 2020 é esperado um aumento significativo nas atividades do campo de Peregrino com a instalação da terceira plataforma no campo, que aumentará a capacidade de produção do ativo. Entre janeiro e maio de 2020 é esperado que mais de 1200 trabalhadores estejam simultaneamente envolvidos em diversas atividades. Além da instalação de flowlines e do hook-up da plataforma C, também ocorrerá um período de alta atividade na unidade de produção, FPSO. Nesse período, serão realizados serviços de manutenção, reparo e modificações importantes para a segurança, desempenho e eficiência futura do campo. A participação da cadeia fornecedora é fundamental em todos os aspectos dessas atividades, desde a demanda por apoio marítimo até a demanda de produtos e mão de obra qualificada.