Encontro Musical anima o Sentrinho neste sábado

0
501

Muita animação vai rolar no Sentrinho neste sábado (30) com show dos cantores e compositores Ricardo Badaró, Diego Cabral e Pará do Cavaco

Animação vai rolar solta neste sábado (30), na Sede do Sentrinho. Tudo acontece em torno do Encontro Musical, nas dependências da Escola a partir das 13h, garantindo uma tarde de muita diversão. O agito musical será comandado pelos cantores e compositores Ricardo Badaró, Diego Cabral e Pará do Cavaco.

O evento contará com a participação dos músicos Flamarion Neguinho (violão 8 cordas); Fransergio (Pandeiro e Percussão); Sergio Malakay (Surdo e Percussão geral), e a participação especial de Marcelo Merrel e Paulo Nolasco, tendo como convidado Amilton Alê Macaé.

A promoção já está atraindo as atenções do macaense. O convite custa o valor de R$ 15 e tendo como pratos do dia Costela de Boi com Aipim, ao preço de R$ 20; Pastel, por R$ 15; e Batata Frita a R$ 20.

As diretoras do Sentrinho, Rita de Fátima Manhães Barreto e Renata Monteiro Jaber, informam que a venda de convite acontece na sede da escola. Os contatos para reserva podem ser feitos pelo telefone (22) 2762-9647. A promoção consta ainda de pista de dança.

Serviço:

Encontro Musical no Sentrinho
Data: 30 de março
Local: Sede do Sentrinho
Horário: a partir das 13h
Convite: R$ 15
Reservas: (22) 2762-9647

Diego Cabral

Nascido e criado em Santa Maria Madalena, região serrana do Rio de Janeiro, o cantor e compositor Diego Cabral tem a música na veia desde criança. Aos 14 anos começou a tocar cavaquinho e compor sambas-enredos. Foi morar no Rio de Janeiro, onde mergulhou no universo do samba, em sua essência. No morro da Mangueira aprendeu a arte do partido alto e nessa vertente promove e se apresenta em rodas de samba com um grande repertório que passa pelos maiores ícones do gênero. Participou de várias disputas da Estação Primeira de Mangueira, na Viradouro e em outras agremiações carnavalescas. Fez parte dos grupos Conversa Comigo e Samba da Vila, O contato para show pode ser feito através do telefone (21) 98332-9013 / (22) 99922-5142.

Atualmente, Diego conta que o seu novo repertório consta de sambas de consagrados compositores, mas seu foco será mesmo as suas canções autorais. Para se ter uma ideia, Diego possui mais de 40 sambas-enredos de escolas e blocos e todo o Estado que desfilaram na avenida, inclusive compositor que concorreu na Viradouro e Mangueira, de escolas de Macaé, Santa Maria Madalena, Trajano de Moraes, Conceição de Macabu.
Em 2018, Diego Cabral, atuou como vocalista do Samba da Vila, projeto muito atraente, que entrou para o calendário cultural de Macaé, fazendo shows em Macaé e Rio de Janeiro, a convite do Grupo Arruda. Cabral conquistou sucesso e divulgou o seu talento nos palcos cariocas, levando a sua arte além dos limites de Macaé, onde se apresentou nas melhores casas noturnas do Rio de Janeiro.

Ricardo Badaró

Macaense, negro, sambista e apaixonado por música popular brasileira, Badaró, Ricardo Badaró já nasceu músico, pois foi no quintal de sua casa, pela cantoria dos tios, que o jovem aprendeu a beleza contagiante do samba. Desde muito novo, dedica seus dias a compor, interpretar, estudar, ensinar e respirar música.
A primeira década dessa promissora carreira nem se concluiu e o sambista já conta com um currículo que inclui abertura dos shows de Monarco da Portela, Tantinho da Mangueira e Iracema Monteiro, e a produção musical do espetáculo Não Deixe o Samba Morrer (2016). Além disso, Badaró já foi cursista da Escola Portátil de Samba e Choro e, há 5 anos, é professor de canto, violão e musicalização infantil.

Sentrinho

A Sociedade de Ensino e Terapia Macaense (SENTROM), conhecida como Escola Sentrinho, nasceu em março de 1989. Decidida a superar os limites impostos por uma sociedade excludente, a historiadora Rita Manhães abriu as portas de sua casa para seis crianças com dificuldades neurológicas. A proposta era fazer uma escola cuja filosofia de trabalho estivesse baseada numa concepção integrada do ser humano e no respeito ao direito de ser diferente. Assim, surgia uma história em que educação e processo terapêutico integram-se, buscando sempre a construção do cidadão.

Neste sentido, a instituição é uma associação sem fins lucrativos mantida por parcerias com empresas privadas e órgãos públicos. A entidade vem rompendo com a visão assistencialista da educação, passando a desenvolver potencialidades a partir de uma visão integrada do ser humano. A instituição é um projeto educacional que visa a inclusão nos diversos espaços sociais. Fundamentada no respeito ao direito de ser diferente, a escola oferece aos cerca de 190 alunos com deficiência a oportunidade de construir e fortalecer suas potencialidades a partir de uma visão integrada do ser humano.