Irmãos morrem asfixiados após incêndio em residência

0
2497

Casa pegou fogo no início da manhã de quinta-feira (5), por volta das 9h30min. Na hora do acidente as vítimas estavam sozinhas na residência

Uma criança de 9 anos e uma adolescente de 14 anos, foram vítimas de um incêndio, na Rua 11, número 160, no bairro Ajuda de Baixo, em Macaé. João Guilherme e Jéssica eram deficientes e estavam sozinhos em casa na hora do incêndio. O pai tinha acabado de sair para trabalhar e a cuidadora chegava no imóvel quando o fogo começou.

Seu João, de 72 anos, estava muito abalado com a morte dos filhos, e não conseguiu falar com a nossa equipe de reportagem do jornal O DEBATE, mas a cuidadora contou o que teria acontecido.

“Antes de ir para a casa das crianças, fui até a padaria para comprar pão para eles tomarem café, e quando eu cheguei na escada que dá acesso ao sobrado da casa pude ver muita fumaça e corri para tentar ver o que tinha acontecido. Abri a porta e não consegui entrar devido a muitas chamas e comecei a pedir socorro para os vizinhos, porém ninguém conseguia socorrer as duas crianças que estavam dentro do quarto trancadas”, disse emocionada a cuidadora Quele Pimentel.

Sobre as crianças trancadas no quarto, Quele comentou que o pai costumava deixar os filhos no local fechado para eles não mexerem nos objetos da casa. “Seu João já havia colocado equipamentos de eletroeletrônico no alto para não ter problema. As crianças eram deficientes e tranquilas. Elas costumavam brincar e interagiam com as pessoas. Tinha os dois como filhos”, declarou.

Quele, que cuidava das crianças há seis anos, disse que ela e o pai das crianças sempre tomaram cuidado para evitar acidentes, mas dessa vez não foi possível evitar.
Tânia Alves é vizinha de seu João e disse que chegou pela manhã em casa e sentiu cheiro de fumaça e começou vistoriar a residência. “Quando olhei para a casa do vizinho pude ver as chamas se alastrando e foi muita correria”, comentou Tânia.

Os Bombeiros foram acionados para controlar as chamas e a rua foi bloqueada pelos agentes e pela Polícia Militar.

Quatro cômodos da casa foram atingidos pelo incêndio. As crianças estavam no quarto dos fundos do imóvel. Quando os agentes conseguiram entrar na residência, João e Jéssica já estavam sem vida. “Foram coletados todos os vestígios do local. A partir da análise das fotos e dos dados que foram coletados, a gente vai fazer um laudo indicando onde começou, a causa mais provável do incêndio. É possível que tenha começado pela tomada. É a linha mais razoável que tem. Que o início do incêndio tenha sido no quarto onde estavam as crianças e se alastrou pelo resto da edificação. Mas será feita uma análise mais pormenorizada baseada nas fotos e naquilo que foi coletado para chegar a uma definição”, afirma Leonardo Costa, perito criminal .

Os irmãos tinham paralisia e eram mudos, conforme confirmou o Conselho Tutelar, que acompanha o caso. A Polícia Civil também esteve no local para a perícia.

Segundo os Bombeiros, além das queimaduras, a fumaça produzida pelo incêndio é extremamente tóxica. Se inalada por muito tempo pode levar a morte por asfixia. A área foi isolada para perícia e os corpos removidos para o Instituto Médico Legal de Macaé.