Drogas são incineradas em ato realizada pela Polícia Federal

0
716
Materiais entorpecentes apreendidos em Macaé durante as operações policiais foram consumados na manhã de sexta-feira (6)

Ao todo, 200 quilos de cocaína e 250 quilos de maconha apreendidos em Macaé, desde o ano passado, foram reduzidos a cinzas na manhã de sexta-feira (6), em Volta Redonda

Policiais da Polícia Federal (PF) de Macaé acompanharam na manhã de sexta-feira (6), o ato de incineração as drogas apreendidas no município de Macaé, apreensão referente do ano de 2018, e nos primeiros oito meses deste ano. Segundo os agentes, foram reduzidos a cinzas 200 quilos de cocaína e 250 quilos de maconha, no alto-forno da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), na cidade de Volta Redonda.

Os materiais entorpecentes incinerados são resultados de apreensões pelas Polícias Federal, Civil e Militar. Sob forte esquema de segurança, os entorpecentes foram retirados do Instituto Criminalística Carlos Éboli, no Rio de Janeiro e levada para CSN em viaturas e caminhões.

A incineração, feita num carro-torpedo da CSN dura em 12 horas, onde um metalúrgico com roupa aluminizada jogava pacotes de maconha prensada para serem queimados no carro-torpedo. O restante do material foi destruído no alto-forno, onde é produzido o ferro-gusa, a uma temperatura de 1.500 graus.

O início do ato foi acompanhado pelo desembargador do Tribunal de Justiça do Rio, que autorizou a destruição das drogas.

Como fazem parte de provas de inquéritos policiais e processos judiciais, amostras dos lotes destruídos foram colhidas, segundo a polícia.

Segundo a Secretaria de Segurança do Estado, a CSN foi escolhida pela proximidade do Rio, onde as drogas foram apreendidas, e por ter um forno de alta potência. A secretaria informou também que esta não é a primeira vez que a CSN cede seu forno para a incineração de drogas. Alguns dados da operação não foram divulgados por medida de segurança.