Diretor do Inmetro presidirá sessão relacionada aos Royalties do Petróleo na Brasil Offshore

0
1233

Engenheiro Marcos Trevisan Vasconcellos vai coordenar os trabalhos na Sessão Técnica

Uma das grandes novidades da edição 2019 da Brasil Offshore será a Sessão Técnica de “Conformidade e Medição” da Conferência Técnica, que ocorre em paralelo durante a feira, no dia 27, das 17h às 19h, no Centro de Convenções Jornalista Roberto Marinho, em Macaé. Pela primeira vez um diretor do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro exercerá a presidência de uma das Sessões Técnica. O Engenheiro Marcos Trevisan Vasconcellos, atual diretor do órgão, foi designado pela Presidente Ângela Furtado, para coordenar os trabalhos, com a vice-presidência sendo exercida pelo atual Presidente do Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro – IPEM/RJ, Carlos Henrique Vaz.

O tema principal terá como ênfase este ano o papel dos órgãos reguladores para a garantia dos resultados das medições de volumes de óleo e gás produzidos.

Trata-se de um evento técnico que aproxima o setor industrial, com sua respectiva cadeia de fornecedores e prestadores de serviços, assim como para os diversos recipientes da união, estados e municípios que são afetados diretamente pela exploração e que recebem royalties e participações especiais.

Os processos de medição das vazões dos fluidos das unidades de produção, que constituem os sistemas de medição fiscal, são fundamentais para o setor offshore, tendo em vista os altos valores monetários envolvidos com possíveis erros de medição da produção, principalmente nos volumes de óleo, que geram receitas relativamente altas.

A Sessão de Conformidade e Medição apresentará, ainda, outra novidade, onde, também pela primeira vez, uma das palestras será apresentada pelos técnicos do Centro de Pesquisas da Petrobras – Cenpes, André Ferreira e Luiz Octávio, e abordará aspectos de investimentos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação – PD&I para esse segmento da indústria do petróleo.

As outras palestras contemplarão os seguintes assuntos: Processo de Fiscalização da medição de petróleo e gás natural no Brasil, a ser proferida pelo Chefe do Núcleo de Fiscalização da Produção da ANP, Gustavo Menezes; a Metrologia legal de O&G, sendo palestrante convidado o Consultor Antônio Rocha e finalizando com o Papel do Inmetro no Controle Metrológico legal dos Sistemas de Medição de Petróleo, que estará a cargo do Chefe da Divisão de Fluidos, Edisio Junior. O evento é aberto ao público em geral que estiver participando e visitando a feira.

ENTREVISTA

O engenheiro Marcos Trevisan Vasconcellos, diretor do Inmetro, concede entrevista exclusiva ao Jornal O DEBATE.

O DEBATE: Como se deu a participação do Inmetro pela primeira vez coordenando uma Sessão Técnica da Brasil Offshore?
Marcos Trevisan – O Inmetro é um grande ator no setor de Petróleo e Gás, atuando como regulamentador e fiscalizador na área de metrologia de óleo e gás, interagindo com vários outros agentes regulamentadores, produtores e distribuidores do setor. A metrologia de Petróleo e Gás, bastante complexa e desafiadora, é base para a segurança e lisura das transações envolvidas.

O DEBATE: Como o Sr. avalia a importância e impactos presente e futuro desse tema para a indústria local?
Marcos Trevisan – O setor de Petróleo e Gás é responsável por uma das maiores fatias setoriais de arrecadação de royalties e tributos, além de ser um grande impulsionador do desenvolvimento econômico do país, influenciando diretamente o transporte e produção industrial.

O DEBATE: Esse assunto é de interesse imediato do Estado do Rio de Janeiro e dos municípios produtores, tendo em vista que se trata da garantia de valores e distribuição adequadas de royalties. Como o Sr. avalia a possibilidade de participação de representantes dos segmentos governamentais durante essa Sessão Técnica da Brasil Offshore 2019?
Marcos Trevisan – Atores governamentais, reguladores e fiscalizadores, são essenciais para definir regras claras, transparentes e estáveis ao setor. O Inmetro, por exemplo, regulamenta e fiscaliza os instrumentos de medição utilizados na cadeia de P&G, como medidores de vazão, computadores de vazão, medidores de volume, tanques utilizados para medião, medidores de água, gás e energia elétrica, até as bombas de combustíveis e dispensers de GNV.

O DEBATE: Uma das suas atribuições, na condição de Presidente de Sessão Técnica da Brasil Offshore, consiste em escolher e convidar profissionais de notório saber que contribuam de forma efetiva para o sucesso do evento. O Sr. pode falar um pouco sobre os critérios na escolha dos palestrantes?
Marcos Trevisan – Foram escolhidos palestrantes pertencentes a agências e institutos bastante afeitos à medição de Petróleo e Gás, como Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, Inmetro, IPEM/RJ (à época do convite) e Petrobras.

O DEBATE: Ao aceitar o convite para presidir essa Sessão, qual o principal objetivo que o Sr. norteou?
Marcos Trevisan – Promover o debate em torno de uma das principais missões do Inmetro, que é a de fornecer confiança à sociedade nas medições realizadas. Por isso é relevante a participação do Inmetro neste evento, devido à importância da medição de Petróleo e Gás para toda a respectiva cadeia de negócios.

O DEBATE: Qual a principal mensagem que o Sr. pretende repassar para o público que estará presente na Sessão?
Marcos Trevisan – Que Inmetro, ANP, IPEM/RJ, Petrobras e outros atores têm a metrologia de Petróleo e Gás como atividade de suma importância em toda a cadeia do setor, desde a produção até o consumidor final, ensejando confiança nos processos metrológicos e proporcionando segurança e cidadania ao se consumir insumos desta indústria.