Corpo de Bombeiros alerta sobre riscos de acidente

0
1574

Após veículo explodir, no Mirante da Lagoa, frentista ficou levemente ferido nas mãos e nos braços, e foi encaminhado para o Hospital Público de Macaé

Um frentista de um posto de combustível, localizado no bairro Mirante da Lagoa, ficou levemente ferido nas mãos e nos braços, na noite da última terça-feira (17), quando o botijão de Gás Natural Veicular (GNV) de um veículo de luxo explodiu enquanto era abastecido em um posto de combustíveis.

O motorista do carro nada sofreu, até porque antes de abastecer, ele saiu do automóvel e durante o abastecimento aconteceu a explosão. As causas do acidente ainda são desconhecidas, mas o fato chamou a atenção para os perigos no abastecimento desse tipo de combustível.

A fim de alertar e orientar a população, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) de Macaé, informou quais os procedimentos de segurança devem ser tomados para evitar que outros acidentes aconteçam.

Segundo o Corpo de Bombeiros, diversos fatores podem ocasionar acidentes como esse. Um desses fatores pode ser a situação do cilindro do veículo. “É importante verificar se o cilindro está inspecionado ou não, além de verificar a existência de problemas relacionados ao bico de abastecimento do posto. Neste caso específico, não podemos afirmar quais foram as causas até o resultado da perícia, mas é importante estar atento a esses detalhes”, informou o comandante do 9° GBM, André Siqueira.

Ele informa ainda quanto aos procedimentos que devem ser tomados no momento da instalação do gás. “Os procedimentos de segurança para o uso do GNV requerem, entre outros cuidados, cuidado especial com a conversão, sendo que esta deverá ser feita em oficina homologada pelo INMETRO. Deve ser exigido da convertedora, a nota fiscal e o Certificado de Homologação do INMETRO, para fazer o registro de conversão junto ao órgão de trânsito responsável”.

Quanto à manutenção do kit GNV, ele afirma: “São necessárias revisões periódicas do kit e cilindro em convertedoras homologadas pelo INMETRO. Está descartado o uso de peças usadas, cilindro recondicionado ou de procedência desconhecida e tubos de cobre. Na instalação, serão exigidos tubos de aço. Os cilindros devem ser sempre de aço especial, de alta resistência para GNV (NBR- 12790 ou ISO 4705) e devem ser fixados com suportes adequados, oferecendo segurança. Não são permitidas soldas nos cilindros, pois este será um ponto em que a resistência ficará comprometida, com sérios riscos de ruptura e vazamento do combustível”, explicou André Siqueira.