Aumenta número de furto de bicicletas na cidade

0
504

Câmera de circuito externo de uma residência no Centro, flagra ação criminosa na Rua da Igualdade

Macaé é reconhecida como uma das cidades do interior do Estado onde a utilização de bicicletas como veículo de transporte ganha maior destaque. Ajuda, e muito, a superfície plana que marca o município. Segundo a equipe da Secretaria de Mobilidade Urbana, são milhares de ciclistas diariamente, sendo a trabalho ou a lazer.

Entretanto, do mesmo modo que cresce o número de bicicletas no município, as reclamações de furtos também aumentam.

Na noite de última quinta-feira (29), por volta das 18h55, imagens de câmera de circuito interno flagraram a ação criminosa, onde cinco bandidos – todos jovens, de aproximadamente 19 anos -, entraram numa vila de moradores na Rua da Igualdade e furtaram duas bicicletas que estavam nas entradas das residências.

As imagens mostram que duas mulheres chegam na vila e colocam a bicicleta no portão de casa, e em seguida, quatro criminosos, entram na residência e uma jovem dar cobertura aos rapazes e fogem em direção ao Mercado Municipal de Peixe.

O jornal O DEBATE entrevistou ciclistas e comerciantes, frequentadores da área central que se sentem inseguros com a ação criminosa. Segundo eles, muitos furtos acontecem a qualquer hora do dia, seja na orla da praia ou na área central, e os ladrões utilizam normalmente alicates específicos, de acordo com a grossura e material das correntes que travam os veículos.

É o caso de um criminoso que furtou uma bicicleta no último dia 18, por volta das 10h, na Avenida Guadalajara, na Praia Campista, em Macaé. Imagens divulgadas na rede social, flagram o criminoso sem camisa e de bermuda andando pela calçada.

Ao se deparar com a bicicleta presa com cadeado na barra de ferro, o bandido tira da mochila um alicate hidráulico e arrebenta a corrente. Em seguida, ele joga a corrente fora e furta a bicicleta.

O estudante da Faculdade Salesiana Maria Auxiliadora, Matheus Rossi, sempre comparece a uma agência bancária em frente à praça. Ele disse que prefere levar a bicicleta a deixar em um poste na frente do banco, ao contrário de utilizar o bicicletário, que é próprio para isso, mas que aumenta a chance do furto.

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), somente no ano passado, Macaé registrou 113 casos de furtos de bicicletas, onde a maioria acontece em bairros nobres da cidade. Enquanto no ano de 2017, foram registrados 96 furtos, e em 2016, foram contabilizados 94.