Aeroportos de Macaé Arquivo

Numa indicação do Senador Romário, o Senado Federal acaba de aprovar o relatório favorável ao PL 342/2019, que dará ao Aeroporto de Macaé o nome de Aeroporto Joaquim de Azevedo Mancebo. A iniciativa presta significativa homenagem ao macaense, que muito contribuiu para o desenvolvimento econômico, social e cultural de Macaé.
Merece lembrar que Joaquim de Azevedo Mancebo nasceu em 11 de fevereiro de 1924, em Carapebus, até então pequena vila canavieira que à época fazia parte do município de Macaé. De origem simples, sua paixão pela aviação vinha desde a adolescência.


Na década de 60, ele construiu a primeira pista de pouso no município e fundou o Aero Clube de Macaé. O campo de pouso se transformou no Aeroporto de Macaé, hoje administrado pela Zurich Airport Brasil.


Mancebo faleceu no dia 1º de setembro de 1973, em um acidente com seu avião ao se chocar contra uma linha de transmissão. O seu amor pela aviação e sua dedicação foram fundamentais para o desenvolvimento de Macaé e o seu legado permanecerá. O homenageado deixou dois filhos: o empresário Joaquim Mancebo Filho, o conhecido Xará, e a Professora Denise.

O Aeroporto de Macaé MEA acompanha o desenvolvimento do município. Participando ativamente da economia local, atende cerca de 200 mil passageiros ao ano (100% off-shore). Recentemente, a ASeB conquistou mais uma melhoria e incrementação nos serviços do aeroporto. Novas operações foram implementadas, retomando os voos comerciais na cidade. Essa e outras conquistas reforçam o compromisso da concessionária com o desenvolvimento e suporte para que o Aeroporto de Macaé MEA seja referência na região.

O aeroporto tem vocação para negócios e é dedicado a atender a indústria petroleira. O novo terminal, possui terreno para expansão (48 ha) e capacidade extensiva (ca. 11.000 m²).

2 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde. Me chamo Claudia Marinho Mancebo. Pelo sobrenome fica claro que sou originária de duas famílias antigas de Macaé. Tbm sou da família Agostinho por parte do meu pai. Sei que vcs publicaram uma reportagem sobre a família Agostinho. Poderiam me enviar?

Comments are closed.