Adolescente é assassinado com 22 tiros

1448
Adolescente é morto por supostos traficantes da Favela da Linha que executaram o menor na frente das pessoas

Crime ocorreu na noite de quinta-feira (24), por volta das 20h, na comunidade da Favela da Linha

Um jovem de 16 anos, identificado como Luciano Ramos Dutra Júnior, foi morto com 22 tiros, na noite de quinta-feira (24), na comunidade da Favela da Linha, em Macaé. Segundo informações da Polícia Militar, a vítima descia do transporte coletivo, quando foi surpreendido por quatro homens, supostamente integrantes do tráfico de drogas, que abordaram e executaram o adolescente na frente dos moradores e passageiros que estavam dentro do coletivo que seguia em direção ao Terminal Central.

O crime aconteceu na comunidade que fica no bairro Cajueiros. O menor chegou a ser levado para o Hospital Público de Macaé (HPM), mas não resistiu e veio a óbito. O caso foi registrado na 123ª Delegacia de Polícia de Macaé e está sendo investigado. Até o momento ninguém foi preso.

Número de assassinatos diminui em abril

Apesar da sensação de insegurança que a população macaense experimenta nos últimos meses, as estatísticas revelam que o número de homicídios cometidos no mês de abril deste ano diminuiu, se comparado ao mesmo período do ano passado. No mês anterior foram registrados apenas 9 assassinatos. Em janeiro deste ano o número chegou a 14, fevereiro 15, março 17 homicídios, ou seja, os primeiros quatros meses, Macaé já registrou 55 mortes. Em abril do ano passado, o número de execuções chegou a 14, porém os primeiros quatro meses do ano passado, a soma total de assassinatos foi de 38.

De acordo com o comandante do 32º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Rodrigo Ibiapina, 90% dos casos de homicídio estão associados ao tráfico de drogas.

“É um tipo de acerto de contas entre os traficantes que agem no município. Desde quando eu estou aqui, há dois meses, tivemos apenas um caso de homicídio onde a vítima não era do tráfico, que aconteceu durante uma troca de tiros entre a polícia e traficantes”, explicou.