Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Assaltos frequentes têm assustado taxistas em Macaé

Cinco profissionais relataram ter sido vítimas de roubos

Em 30/04/2018 às 12h19


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Taxistas cobram por mais segurança diante da "onda" de assaltos aos profissionais Taxistas cobram por mais segurança diante da "onda" de assaltos aos profissionais
Os frequentes casos de assaltos a taxistas têm gerado insegurança nos profissionais. Após cinco casos recentes de roubos, nos quais elementos entraram como passageiros nos veículos para, em seguida, anunciar os assaltos, a categoria pede por mais segurança para a realização do trabalho.

O relato dos taxistas quanto à ação dos meliantes é sempre o mesmo. Os suspeitos entram no táxi como se fossem passageiros mas, no meio do trajeto, anunciam o assalto, sempre armados, levando dinheiro e celular do profissional. Em algumas ocorrências, os criminosos têm como alvo o roubo do veículo. Em seguida, os suspeitos descem do carro, geralmente próximo de comunidades. 

"A gente agradece por não ter levado a nossa vida. Eles são abusados, principalmente quando são menores, pois são ainda mais agressivos. Na última semana, eu fui vítima, quando entraram dois homens e uma jovem no meu táxi e pediram para levá-los ao bairro Visconde. Depois mudaram de ideia e disseram que iam deixar a menina na Nova Holanda, ali eu já percebi que seria assaltado. Deixei a menina na entrada da comunidade e segui com os dois, sem direção, e no meio do caminho eles anunciaram o assalto e me levaram dinheiro e celular, depois desceram. Felizmente não levaram o carro e nada de ruim aconteceu comigo", disse um taxista que prefere não se identificar.

O turno de trabalho desses profissionais pode chegar a 12 horas. O período noturno é o mais temido pelos motoristas, devido à vulnerabilidade e aos constantes casos de roubos. Alguns optam não atender algumas corridas. Outros dizem que precisam trabalhar e não se recusam a levar passageiros em determinados pontos, mesmo que considerados de risco.


Colaboração - Para ajudar a Polícia Militar no combate à criminalidade e violência em toda a área do 32º Batalhão de Polícia Militar (BPM), qualquer cidadão pode denunciar pessoas e situações suspeitas. Basta entrar em contato com o Disque-Denúncia da Polícia Militar, através do número 2765-7296. O telefone está à disposição da população 24 horas por dia para atender todos os chamados, e não é preciso se identificar. Além das ligações, os cidadãos também podem passar informações pelo WhatsApp, através do número 98168-2344. Ou por e-mail para: denuncia32bpm@gmail.com.

Contato CCSP - O Conselho de Segurança Pública de Macaé também pode ajudar a população nos assuntos relacionados à segurança pública. A população pode entrar em contato para apresentação de demandas, solicitar visitas, saber mais informações e eventuais parcerias, através do perfil no facebook CCSP Macaé, pelo e-mail: contato@ccspmacae.com.br, através da página online, onde o cidadão também pode enviar denúncias anônimas: <http://www.ccspmacae.com.br

Autor: Cristian Kupfer

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: polícia


publicidade