Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Moradores denunciam problemas na rede de esgoto

Segundo eles relatam, algumas das tubulações estariam passando por debaixo das casas no loteamento

Em 27/04/2018 às 18h21


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Moradores temem que a rede instalada em local inadequado pode vir a causar transtornos no futuro Moradores temem que a rede instalada em local inadequado pode vir a causar transtornos no futuro
Durante a nossa visita de Bairros em Debate há algumas semanas no Vale das Palmeiras, loteamento na área sul que vem sofrendo forte expansão, um dos problemas levantados pelos moradores foi a questão do esgoto. Após a matéria ser publicada, um deles entrou em contato com a nossa equipe novamente para fazer uma nova denúncia.

Segundo Rodrigo Camargo, uma das tubulações de esgoto passaria por debaixo da sua casa, situação que lhe gera algumas preocupações. Ele relembra que não havia sido informado de tal situação quando comprou o terreno. 

"Eu comprei a casa e depois que estava morando fui verificar a situação da fossa, que era a única coisa que eu já tinha ciência, e foi ai que eu descobri que tinha uma caixa de passagem no quintal da casa. Estranhei aquilo e, depois conversando com os vizinhos, descobri que se tratava de uma caixa de esgoto. Ou seja, toda a rede da rua onde moro passa no quintal da casa. Não só no meu, mas de todos os moradores", relata ele.

Apesar de não saber quais transtornos isso pode vir a causar no futuro, o morador acredita que o problema pode ter sido algum tipo de erro de projeto na época que o loteamento foi criado. "Acredito que a rede tenha sido feita pelo loteador. Não acho que foi a prefeitura e nem a BRK que fez. Eu gostaria de saber do poder público respostas sobre isso", questiona.

No final de março, quando a nossa equipe fez o primeiro contato para perguntar sobre a questão da rede no loteamento, a BRK Ambiental informou que o bairro Vale das Palmeiras possui aproximadamente 22 km de rede coletora de esgoto com separação absoluta e encaminhamento correto para duas estações elevatórias (EE), que direcionam o efluente para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Mutum. 

Na época, a concessionária esclareceu que a infraestrutura feita pelo Incorporador não conta com caixa de inspeção (CI) instalada na calçada. Entretanto, as instalações intradomiciliares dos imóveis estão conectadas diretamente à rede de esgoto, o que permite a BRK Ambiental tratar por mês aproximadamente 3,6 milhões de litros de esgoto dos moradores do Vale das Palmeiras.

A empresa foi procurada novamente, dessa vez, para saber sobre o problema mencionado pelo morador. Segundo a BRK Ambiental, em nota, de acordo com o contrato de PPP firmado com a prefeitura, a concessionária é responsável somente por operar o sistema de esgoto em áreas públicas.

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: cidade


publicidade