Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Artesão recicla embalagens e produz belas peças decorativas

O artesão Jorge Araújo transforma o lixo em produtos como jorgos americanos, porta-copos, chaveiros variados,e tantos outros objetos de utilidade para o lar

Em 26/04/2018 às 11h37


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Criatividade e beleza não faltam ao artesão na elaboração de belas peças recicladas. Criatividade e beleza não faltam ao artesão na elaboração de belas peças recicladas.
Todos os dias, em todo o mundo, bilhões de litros de água, leite, suco e outros alimentos líquidos são consumidos, acumulando uma montanha de embalagens que protegem os produtos e comprometendo o meio ambiente. Hoje, um terço do lixo doméstico é composto por embalagens. Cerca de 80% das embalagens são descartadas após usadas, superlotando os aterros e lixões. Recentemente, foi descoberta uma enorme quantidade de lixo boiando no meio do oceano Pacífico - uma área igual a dois Estados Unidos. Estima-se que resíduos plásticos provoquem anualmente a morte de mais de um milhão de aves e de outros 100 mil mamíferos marinhos.

No Brasil, aproximadamente um quinto do lixo é composto por embalagens. São 25 mil toneladas de embalagens que vão parar, todos os dias, nos depósitos de lixo. Esse volume encheria mais de dois mil caminhões de lixo, que, colocados um atrás do outro, ocupariam quase 20 quilômetros de estrada.

Foi pensando nisso que o artesão Jorge Araújo mergulhou fundo no mundo da reciclagem e atinge a expressão da beleza, ao desenvolver trabalhos com o aproveitamento do ‘tetra pak’, o principal material das nossas embalagens, o papel-cartão, e apresenta na cidade os produtos do seu talento.

Criatividade e beleza não faltam ao artesão na elaboração de belas peças recicladas. A minha ideia surgiu quando vi a quantidade enorme de embalagens jogada no lixo e que poderia ser reaproveitada para outros objetos", declarou Jorge Araújo, revelando que desenvolve os artesanatos de acordo com o momento e vai criando até sair algo útil. Assim, ele faz jogos americanos, porta-copos, chaveiros variados, inclusive, de times famosos, porta-retratos, ímã de geladeira, pregadeira de cabelo, e tantos outros objetos de utilidade para o lar.

É preciso enfatizar que o artesão usa e abusa da criatividade, ao desenvolver objetos úteis ou decorativos que são artesanatos reciclados. Neste sentido, a reciclagem pode ser considerada uma das melhores maneiras de reduzir o volume do lixo, que causa aumento da poluição.

Nascido e criado em Niterói (RJ), Jorge Araújo trabalhava como serralheiro e ficou desempregado. Chegou em Macaé em fevereiro de 2016 em busca de emprego. Sem conseguir trabalho, foi parar na Pousada de Cidadania e lá se lembrou da avó nordestina que fazia um belo trabalho artesanal com palha. 

"Neste momento difícil da minha vida, não tinha o que fazer, e lembrei de como minha avó trançava a palha e passei a olhar para os materiais com outros olhos, tentando descobrir como poderia transformar as embalagens em arte", disse o artesão, contando que a partir daí começou a desenvolver o trabalho de reciclagem, manuseando cada embalagem e descobrindo o potencial daquele material. Aos poucos, foi vendo o resultado do seu esforço e belas peças.

Jorge Araújo conta que expõe seus artesanatos nas praias, nas feiras, e qualquer evento que abre espaço para ele. O artesão informa que os chaveiros de clube de ffutebol, como Fluminense, Flamengo e Palmeiras são os produtos mais vendidos.

"Eu faço reciclagem para tirar do planeta esses produtos que iriam parar no lixo, e assim eu consigo me sustentar com este trabalho", frisou o artesão, ressaltando ainda que o seu desejo é ampliar este trabalho realizando uma linha de produção em série e abrir frente de trabalho e gerar emprego para outras pessoas, e assim, conseguindo fazer um reaproveitamento de outros materiais que vão para o lixo.

Autor: Isis Maria Borges Gomes isismaria@odebateon.com.br

Foto: Divulgação


    Compartilhe:

Tags: entretenimento


publicidade