Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Jardim Vitória: Moradores reclamam de animais soltos

Presença de vacas e cavalos nos terrenos e vias estão se tornando comuns

Em 06/04/2018 às 17h08


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Moradores fazem apelo e pedem mais fiscalização do poder público no bairro Moradores fazem apelo e pedem mais fiscalização do poder público no bairro
A grande quantidade de animais de grande porte pelas ruas do bairro continua gerando reclamações no Jardim Vitória. Essa semana, durante a visita de Bairros em Debate, que será publicada na edição deste final de semana, a nossa equipe encontrou vacas soltas em um terreno e cavalos transitando por vias do loteamento. 

Quem mora perto reclama da situação. "Aqui é uma área residencial e não rural, apesar de ter sítios no entorno. A presença desses bovinos e equinos, além de poder causar um acidente, pois eles circulam livremente pelas ruas, ainda traz outros problemas, como infestação de carrapatos nas casas. É muita falta de responsabilidade dos donos. A prefeitura deveria ser mais atuante para coibir essas pessoas", diz uma moradora, que pede sigilo do nome. 

Lembrando que há alguns meses moradores denunciaram a presença de cavalos soltos em vários pontos do bairro. "Isso virou rotina na região", lamenta a moradora.

A falta de responsabilidade coloca em risco a vida dos bichos e também da população. Além de ser um ato criminoso e cruel, a presença desses animais nas vias aumenta o risco de acidentes, sobretudo de atropelamentos, o que pode causar danos aos veículos e aos condutores. 

Apesar de ser crime, muitas vezes a situação fica impune, já que nessas situações é difícil encontrar os donos dos animais. Em uma rua com fluxo intenso, uma freada brusca pode causar colisões entre veículos, trazendo muitos prejuízos e até a morte dos passageiros, casos que já foram registrados na cidade. 

Lembrando que maus-tratos ao animal é considerado um crime, previsto no Art. 32º da Lei 9.605/98. A pena para esses casos é de três meses a 1 ano, além de multa, podendo ser aumentada de um sexto a um terço, se ocorrer a morte do animal.  
Vale ressaltar que o proprietário desses animais também pode responder criminalmente, de acordo com o Art. 31. do Decreto-Lei nº 3.688/41 (Lei das Contravenções Penais). Diz o texto legal que "deixar em liberdade, confiar à guarda de pessoa inexperiente, ou não guardar com a devida cautela animal perigoso" pode causar ao infrator pena de prisão simples, de dez dias a dois meses, ou multa. O parágrafo único ressalta que a pena também é aplicada a quem "na via pública, abandona animal de tiro, carga ou corrida, ou o confia à pessoa inexperiente". 

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Marianna Fontes


    Compartilhe:

Tags: cidade


publicidade