Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Paróquia Santo Antônio encerra atividades da Semana Santa

Programação é considerada como a mais importante celebração da Igreja Católica no mundo

Em 06/04/2018 às 16h09


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Padre Gleison conduziu atividades que seguem a tradição católica na Semana Santa Padre Gleison conduziu atividades que seguem a tradição católica na Semana Santa
A Semana Santa, a mais importante celebração da Igreja Católica, que recorda a Paixão, a Morte e a Ressurreição de Cristo, teve extensa programação na Paróquia Santo Antônio em Macaé. Do Domingo de Ramos até o Domingo de Páscoa, os fiéis reviveram os episódios mais marcantes desta semana crucial na vida de Jesus.

A programação teve início na Semana Maior, com a solenidade do Domingo de Ramos. Celebrada pelo pároco, padre Gleison Lima, a Santa Missa teve início na Praça do Rodo às 8h, onde a comunidade recebeu os ramos abençoados, seguindo em procissão pelas ruas do bairro Visconde de Araújo. Na Matriz Paroquial, a Missa teve continuidade.
A
Procissão do Encontro marcou a Quarta-feira Santa (28). Na ocasião, as paróquias da cidade se encontraram e as mulheres participaram da Santa Missa na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, enquanto os homens estiveram presentes na Santo Antônio. Em seguida, os fiéis saíram em procissão pelas ruas de Macaé. Os homens acompanharam o Nosso Senhor Jesus Cristo e, as mulheres, Maria. No cruzamento que separa o Centro da cidade e os bairros Visconde e Miramar, Maria encontrou Jesus e ambos percorreram o caminho até o calvário, simbolizado na procissão pelo morro que leva à Igreja de Sant'Anna. A procissão foi encerrada com uma breve reflexão do padre José Luiz, lembrando o quão duro é o caminho do calvário.

A Quinta-feira Santa (29) na Paróquia Santo Antônio foi marcada pela celebração da Santa Missa da Instituição da Eucaristia e do Lava Pés, presidida pelo pároco padre Gleison Lima e concelebrada pelo vigário paroquial, padre Amauri da Silva. O rito que retrata a última ceia de Jesus com os apóstolos marcou o início do Tríduo Pascal e lembra a última vontade de Jesus antes de sua morte e ressurreição. Já o Lava Pés é um ritual litúrgico que retrata Jesus, ao lavar os pés dos discípulos, demonstrando seu amor por cada um e transmitindo que a humildade e o serviço são o centro de sua mensagem. Doze fiéis tiveram seus pés lavados pelo sacerdote como forma de compromisso em estar a serviço da comunidade, para que todos tenham salvação.

Já na Sexta-feira Santa (30), a Liturgia da Paixão do Senhor na Santo Antônio foi celebrada às 15h. Vestido de vermelho, a cor dos mártires, o pároco se prostrou no chão diante do altar desnudo, silenciosamente, durante alguns minutos. O realismo da profecia de Isaías iniciou a Liturgia da Palavra fazendo memória de um redentor maltratado, desfigurado e morto como malfeitor, mas que resgata o pecado de todos e intercede em favor dos pecadores. O Evangelho levou os fiéis a acompanharem os passos vividos por Jesus desde a condenação até a morte na cruz.

Na Sexta e Sábado Santos, às 5h, os fiéis da Santo Antônio também participaram do Ofício das Trevas, que é o conjunto de leituras, lamentações, salmos e preces penitenciais, onde o templo ficou às escuras, iluminado apenas por velas que se apagam aos poucos durante a cerimônia. Esta forma de celebrar é responsável pelo nome dado ao ritual, que representa o luto e a escuridão à qual ficou sujeita a Terra diante da morte de Jesus. É um forte momento de oração e reflexão da vida e missão de Cristo, que conduz os fiéis à oração mediante a meditação da Palavra de Deus.

Celebrar a vida, o amor e a misericórdia de Deus. Estes foram os princípios destacados na Missa do Domingo de Páscoa, a comemoração mais importante da Igreja Católica - o dia da Ressurreição de Jesus. A Páscoa é um período de renovação para o fiéis. Por isso, a necessidade de se manter acesa a chama que torna-os pessoas novas em Cristo.

Ao final, o Padre Gleison reforçou que com a celebração da Páscoa foi iniciado o Tempo Pascal, que compreende os 50 dias entre o domingo da Ressurreição e o de Pentecostes - dia em que o Senhor enviou o Seu Espírito Santo sobre os apóstolos, para que dessem continuidade à missão do Anúncio da Boa Nova.

Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

Foto: Pascom Santo Antônio


    Compartilhe:

Tags: cidade, social


publicidade