Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Cláudio Vieira traz palestra motivacional a Macaé

Apresentação será no próximo dia 25, na Paróquia Santo Antônio Macaé

Em 21/03/2018 às 10h01


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Evento, que é gratuito, está agendado para 10h, na Paróquia, no Novo Visconde Evento, que é gratuito, está agendado para 10h, na Paróquia, no Novo Visconde
Um exemplo de superação, Claúdio Vieira, aprendeu a levar a vida com otimismo. Portador de uma doença rara, a AMC (artrogripose múltipla congênita), que deixa as pernas deformadas, braços inutilizados e a coluna vertebral torcida, ele emociona todos por onde passa. Viajando por todo o Brasil, ele fará uma visita a Macaé esse semana. No dia 25, ele vai apresentar uma palestra motivacional na Paróquia Santo Antônio Macaé. 

Segundo a organização, a entrada é gratuita e não precisa fazer inscrição. A apresentação está marcada para as 10h, após a Missa de Ramos. 

Além da palestra na Paróquia Santo Antônio, o baiano de Monte Santo participará do DMJ (Dia Mundial da Juventude), que acontece no dia 24, em Itaocara. Já no dia 26, às 9h, o palestrante faz uma visita à Escola Municipal Maria Isabel Damasceno Simão, localizada no Centro de Macaé, para contar a sua trajetória de vida aos alunos daquela unidade de ensino.

"Geralmente reclamamos da vida e nos chateamos por qualquer coisa, mas quando ouvirmos o testemunho do Cláudio poderemos refletir que sempre podemos mais", disse o Padre Gleison Lima, pároco da Santo Antônio.

Espirituoso e alegre, Cláudio Vieira, que é autor do livro "O mundo está ao contrário",  nega que enxergue tudo de cabeça para baixo e garante que todo o seu organismo trabalha normalmente. Para realizar a maioria dos seus movimentos, ele usa a boca e sapatos especiais que o auxiliam a caminhar de joelhos. 

"Não enxergo nada de cabeça para baixo. Eu brinco que o mundo é que está de cabeça para baixo. Enxergo tudo normal. Inclusive, se alguém me der algo para ler, a pessoa vira o objeto de cabeça para baixo e eu desviro. Eu leio normal. É apenas a posição da cabeça", explica Cláudio.

Aos 40 anos de idade e formado em Contabilidade, Cláudio Vieira venceu as dificuldades e diz que nunca sofreu preconceito. Para ele, o segredo é o apoio familiar, porque sem isso não teria conseguido interagir fora de sua casa. Desde o ano 2000, passou a dar depoimentos em igrejas, a convite de amigos, e tomou gosto por fazer palestras motivacionais.

"Venho de uma família humilde, mas estruturada. Ainda pretendo ter uma vida bem melhor através do trabalho e meu sonho é conseguir ter uma vida mais confortável, sem parar no tempo ou ficar limitado", diz ele, que foi condenado à morte pelos médicos assim que nasceu.

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: cidade, social, entretenimento


publicidade