Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Quaresma: Procura por peixe ainda é baixa

A expectativa dos comerciantes é de que nas próximas duas semanas, haja um aumento de pelo menos 30% nas vendas com relação ao ano passado

Em 19/03/2018 às 11h37


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Comerciantes apontam o atual cenário de crise como o causador da queda nas vendas  Comerciantes apontam o atual cenário de crise como o causador da queda nas vendas
Apesar de o consumo de pescados costumar aumentar no período da quaresma, quando muitos consumidores deixam de comer carnes vermelhas, em Macaé as vendas continuam baixas. 

Há pouco mais de dez dias para a tradicional Semana Santa,  no mercado de peixes, as vendas, de acordo com os comerciantes, seguem fracas. Mas a expectativa deles é que, pelo menos nas próximas semanas, seja registrado um aumento de cerca de 30%  a mais com relação ao ano anterior. 

O atual cenário de crise registrado em todo pais é considerado pelos comerciantes como o causador da baixa procura. "Parece até mentira, mas a gente tem peixe e não temos clientes. A situação está feia e para tentar cativar o pouco dos clientes que aparecem a gente faz ofertas, promoções, para tentar vender um pouco", disse um comerciante. 

Uma cliente que estava no local confirmou: "De modo geral o preço dos produtos não estão caros, mas nós estamos sem dinheiro então a promoção é sempre bem-vinda", disse a dona de casa que preferiu não se identificar. 

Outro comerciante ressaltou ainda que eles estão com bastante variedade, e mercadorias para atender a todos os gostos. Entre as espécies estão o dourado; camarão cinza; filé de cação; anchova; corvina; pescadinha e pargo. "Temos muita variedade, mas mesmo nesse período da quaresma as vendas estão muito baixas. Vamos ver  se melhora nas próximas semanas", ressaltou. 

Esta semana, de acordo com informações do órgão municipal, fiscais da Coordenadoria Especial de Vigilância Sanitária (Covisa) estiveram no Mercado de Peixes, para orientar os vendedores das bancas de pescado. A iniciativa teve como objetivo  intensificar as ações que garantam a segurança alimentar e qualidade do pescado, principalmente com a proximidade do feriado da Semana Santa, quando o consumo do produto aumenta.

Vale lembrar que no ato da compra, os consumidores devem levar em consideração alguns itens como: avaliar as condições de higiene da banca, verificar se o peixe apresenta olhos brilhantes, guelras avermelhadas e se a carne está firme e olhar também, se o produto está bem refrigerado. 

O órgão municipal informa ainda que o Mercado de Peixes foi reinaugurado em 2015,  e é considerado um dos mais bonitos espaços arquitetônicos da cidade, funcionando num prédio de dois andares. Também é o maior da região nessa atividade, agregando beleza, qualidade e convívio.

O local funciona todos os dias, das 7h às 17h, com exceção da segunda-feira que funciona até às 13h. Ainda segundo informações, no espaço funcionam 42 bancas além de mais 14 bancas no espaço provisório. 

Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: economia


publicidade