Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Situação ainda é crítica após o período de chuvas

Vias importantes seguem com o trânsito interditado uma semana após o forte temporal que atingiu a região

Em 15/03/2018 às 17h02


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Apesar do trânsito liberado, motoristas que circulam pela Linha Azul devem redobrar a atenção próximo ao Bosque Azul Apesar do trânsito liberado, motoristas que circulam pela Linha Azul devem redobrar a atenção próximo ao Bosque Azul
Uma semana após as fortes chuvas, que causaram vários transtornos no município, a cidade ainda apresenta vários pontos de alagamentos. Em algumas localidades, vias importantes precisaram ser interditadas parcialmente ou por completo.

Na Avenida Lacerda Agostinho (Linha Azul), o trânsito segue com algumas retenções. Na pista sentido Centro, na altura do Condomínio Bosque Azul, parte da pista continua alagada. A nossa equipe de reportagem vem acompanhando diariamente a situação no local. 

Um morador do bairro relata que essa é a primeira vez que ele vê esse tipo de situação na via. "Passo por aqui todos os dias e o que sempre ocorria eram poças de água na pista ou o canteiro central alagado. Mas como ficou, é algo que assusta. Os terrenos viraram lagoas e a água tomou a pista. A preocupação é que não está escoando rapidamente. Se der outra chuva forte vai piorar a situação", conta Pedro Henrique. 

Por conta disso, a prefeitura informou que agentes da secretaria de Mobilidade Urbana estão atuando na Linha Azul para orientar os condutores. Sinalizadores, letreiros e cones foram instalados no trecho. Os condutores que passam pelo local devem redobrar a atenção e transitar em baixa velocidade para manter a segurança. 

Além disso, equipes também estão dando suporte em outros bairros. Na Aroeira, por exemplo, a Rua Vitória Régia, que beira o Canal do Capote, foi interditada pelos moradores após a enchente. Segundo o relato de um deles, a medida foi necessária, já que os veículos estavam passando em alta velocidade e, com isso, a água estava entrando nas residências. 

"O Canal já vinha sofrendo uma cheia nas últimas semanas. Bastou aquela chuva na quinta-feira passada para acontecer o que a gente mais temia. Alagou tudo. Virou tudo uma lagoa. Entrou água nas casas. Um verdadeiro caos", diz ele, que pede sigilo do nome. 


Por conta disso, o desvio vem sendo feito pela Rua Alcides Mourão e faixa reversível no trecho entre a Rua das Casuarinas e Linha Verde. A ponte de acesso à Linha Verde, que também estava interditada por conta da elevação do Canal do Capote, foi liberada na tarde de terça-feira (13).

Com o nível dos recursos hídricos altos, o Bairro da Glória teve o seu trânsito alterado. A rua Professora Jacira Moura Tavares Duval continua com o trânsito de veículos bloqueado. Um desvio foi feito pela Rua Professora Anna Benedita, que está em mão dupla. 

Segundo a prefeitura, o período de maré alta ainda dificulta essa situação, mas a expectativa é que em uma semana as águas baixem. A Defesa Civil permanece em alerta constante, assim como equipes da Mobilidade Urbana (nas áreas críticas quanto ao tráfego de veículos) e secretaria de Desenvolvimento Social, que está em campo desde a última semana e estará atuando, em uma força tarefa em conjunto com a Saúde, principalmente, nas áreas que margeiam os rios como Nova Esperança (onde três casas foram interditadas por rachaduras), Malvinas, Ilha Leocádia, Novo Horizonte (margem da linha).

Ela ressalta que muitas famílias estão desalojadas e foram levadas para casas de familiares e amigos. Duas delas foram encaminhadas para a Pousada da Cidadania, mas não há informação sobre feridos e nem desabrigados. A ponte de Trapiche, na região serrana, será liberada nesta quinta-feira (15).

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Sylvio Savino/ Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: cidade


publicidade