Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Vazamento de água no Centro da cidade

Denúncia feita por morador aponta que problema persiste há mais de dois anos na Rua Velho Campos

Em 08/03/2018 às 16h08


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Procurada pelo Jornal, a Cedae disse que o reparo seria feito no local em até 24 horas Procurada pelo Jornal, a Cedae disse que o reparo seria feito no local em até 24 horas
Enquanto de um lado o Jornal tem recebido a reclamação da falta de água em vários bairros da cidade, na manhã de ontem, foi a vez de denúncia sobre um vazamento em pleno Centro da cidade.  

O problema está ocorrendo na Rua Velho Campos, em frente ao número 368. Um morador que prefere não se identificar disse que já fez contato com a Cedae duas vezes, mas não foi atendido. "Liguei para a concessionária no dia 22/02 e 1º/03 e eles ficaram de vir verificar o problema, mas até agora nada e enquanto isso o desperdício de água continua. Uma situação que nos entristece, pois a gente sabe que em vários bairros, a população não tem água e são obrigados a recorrer aos caminhões-pipa, ou comprar água mineral", disse o morador. 

Em decorrência do vazamento, uma cratera está se abrindo no meio da rua. "Com a força da água, parte da rua está cedendo.  A rua tem movimento intenso de ônibus - o que agrava ainda mais a situação. Esse já é o terceiro vazamento no mesmo local em curto período de prazo. O fato é recorrente e nada é feito", relatou. 

Vale lembrar que um alerta feito pela Organização das Nações Unidas (ONU), aponta que 40% é a média de desperdício de água após o tratamento no Brasil. 

Enquanto o desperdício é notado no local, em bairros como Riviera, Centro, Granja dos Cavaleiros, Nova Esperança, Parque Aeroporto, Vila Badejo, Jardim Vitória, Vale das Palmeiras e muitos outros, ter água nas torneiras é sorte. 

Moradores do Mirante da Lagoa, Jardim Guanabara, São Marcos e bairros vizinhos estão entre os afetados com o abastecimento na última semana. De acordo com um morador do Mirante, foram cinco dias sem abastecimento e muitos tiveram que recorrer ao caminhão-pipa. "Estávamos pagando R$ 150,00 por cinco mil litros de água.  A normalização só veio a acontecer na manhã de segunda-feira (5).

A gente ligava para a Cedae e a informação é que estava tudo normal e que iriam verificar. Já a BRK dizia que não era com eles, no entanto, não entendo porque a conta da água e esgoto vem junto se na hora que precisamos resolver um problema ninguém é responsável", disse o morador. 

Sobre a falta de água, a Cedae informou que é necessário o Jornal encaminhar os endereços com número ou matrícula para que possam verificar. No entanto, o Jornal não sai questionando dos leitores que informam sobre o problema, tais informações.  

Já com relação ao vazamento, a concessionária disse que concluiu na última quinta-feira reparo emergencial em tubulação da produção de água do município, que afetou o abastecimento de toda cidade. O sistema voltou a operar e o abastecimento está sendo regularizado, mas pode levar até 48 horas em cotas elevadas ou fim de rede para que o serviço seja plenamente normalizado. Quanto ao vazamento na Rua Velho Campos, o reparo está programado para ser feito em até 24 horas.

Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: cidade


publicidade