Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Vazamento de água no Novo Botafogo é alvo de reclamação

De acordo com os moradores, o problema já dura mais de um ano e em paralelo no próprio bairro, famílias não recebem água da Cedae

Em 22/02/2018 às 16h17


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Imagem mostra o vazamento na Estrada Virgem Santa, no Novo Botafogo - próximo a primeira ponte de madeira Imagem mostra o vazamento na Estrada Virgem Santa, no Novo Botafogo - próximo a primeira ponte de madeira
Na Capital do Petróleo é assim: se de um lado grande parte da população sofre com a precariedade no abastecimento de água, de outro o desperdício é evidente. No Novo Botafogo, moradores relatam que há anos aguardam uma atenção especial da concessionária responsável pelo abastecimento de água na cidade, a Cedae. Mas enquanto a concessionária não atua, a água segue jorrando evidenciando o desperdício.  

O vazamento pode ser verificado na Estrada Virgem Santa, no Novo Botafogo - próximo a primeira ponte de madeira.  
À redação do Jornal, o presidente da Associação de Moradores do bairro, Jefferson Silva disse que já faz mais de um ano que cobra uma resposta da Cedae, mas até hoje nada foi feito.

"Já procuramos o órgão por diversas vezes, mas o problema continua. Teve uma época que a rua estava ficando intransitável, muita água jorrando, buracos se abrindo e para a situação não ficar ainda pior, nós moradores nos reunimos, compramos uma manilha e fizemos um serviço de emergência para tentar minimizar a situação, mas ainda assim a água continua vazando. E o que nos entristece ainda mais é que, além da Cedae não nos atender e vir fazer o que deve ser feito aqui mesmo no bairro, o abastecimento de água tem deixado a desejar. Depois que eles colocaram uns canos verde aqui próximo a ponte, o abastecimento ficou ainda mais precário e tem casas que a água nem chega", disse  o presidente da Associação. 

Ainda de acordo com os moradores, o problema começou após uma intervenção da Cedae, na época para colocar a tubulação. "Por várias vezes cheguei a entrar em contato com a companhia, inclusive, pessoalmente, e todas às vezes me falaram que iriam enviar uma equipe ao bairro, só que até hoje ninguém apareceu. E continuamos assim", disse. 
Vale lembrar que um alerta feito pela Organização das Nações Unidas (ONU), aponta que 40% é a média de desperdício de água após o tratamento no Brasil. 


Sobre a falta de água não é só no Novo Botafogo que o problema é motivo de preocupação e até mesmo indignação. Em bairros com Riviera, Centro, Granja dos Cavaleiros, Nova Esperança, Parque Aeroporto, Vila Badejo, Jardim Vitória, a situação é a mesma e o bem tão precioso para a vida na Terra ainda é um sonho distante para várias famílias. 

Procurada pela redação do Jornal, a Cedae informou que, com as referências apresentadas, equipe irá ao local verificar a demanda de vazamento e, caso seja de responsabilidade da companhia, o reparo será realizado. Já sobre a precariedade no abastecimento, o órgão disse que para verificar a demanda precisa dos dados completos do morador que esteja fazendo a denúncia, desde nome completo, endereço completo com numeração e até o número da matrícula da Cedae, no entanto, essas são informações que o leitor não passa à equipe de reportagem durante a denúncia. 

Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: cidade


publicidade