Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Acesso à saúde é precário na área rural

Moradores do Aterrado do Imburo reclamam de falta de médicos na unidade

Em 16/02/2018 às 15h35


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Prefeitura diz que vem tentando normalizar o atendimento na ESF do bairro Prefeitura diz que vem tentando normalizar o atendimento na ESF do bairro
Na última semana, o jornal O DEBATE mostrou a realidade de quem vive no Aterrado do Imburo, bairro situado na zona rural da cidade. Entre os vários problemas de infraestrutura apresentados, um deles foi em relação a saúde, que está precária. 
Isolados do Centro, os moradores precisam enfrentar uma longa distância para ter acesso ao atendimento médico. Segundo o presidente da Associação de Moradores, Carlos José de Araújo Toledo, o bairro conta com uma unidade de saúde, no entanto, faltam médicos no local para atender a população.

"Nosso posto só tem o básico, que é serviço para aferir pressão, curativo, essas coisas. Se precisar de algo mais grave tem que procurar outra unidade em outro bairro ou ir para o HPM. Todas as opções são longe daqui e o nosso transporte público não é dos melhores. É um sofrimento para quem vive aqui. Tudo isso porque faltam médicos", conta.

Ele reforça novamente o pedido da volta do atendimento odontológico. "Há mais de dois anos a gente está solicitando o dentista e a prefeitura promete e nada. É um serviço que faz bastante falta pra gente aqui", explica.

Procurada pela nossa equipe, a prefeitura informou que a Coordenação da Estratégia Saúde da Família está tentando viabilizar um médico para o local. Quanto ao dentista, o posto conta com um profissional que estava de atestado médico, mas que já retornou ao trabalho. Além do dentista, a secretaria de Saúde diz que a unidade conta com enfermeira, serviços de preventivo, pré-natal e visitas domiciliares.

O problema no setor vem sendo alvo constante de reclamações no município. De 2016 para cá, a rede pública tem absorvido grande parte de usuários que deixaram a rede privada devido à redução de postos de trabalho em consequência da crise econômica nacional. 

Vale ressaltar que o acesso à saúde pública de qualidade é um direito de todo cidadão brasileiro. A Lei nº 8.080/90 diz que é dever do Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. O mesmo direito é assegurado pela Constituição Federal de 1988. 

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: cidade, saúde


publicidade