Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Falta de energia prejudica abastecimento de água

A Cedae confirmou o problema, mas disse que a situação já foi resolvida. Já a Enel não se pronunciou

Em 07/02/2018 às 18h11


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

A Cedae disse que o problema já foi resolvido A Cedae disse que o problema já foi resolvido
Na tarde de segunda-feira (5) a redação do Jornal recebeu a denúncia de que, em virtude de uma pane no sistema elétrico na Severina, o abastecimento de água havia sido paralisado na cidade.

"Desde às 11h de segunda-feira a Enel suspendeu a energia na Severina e com isso todo o abastecimento de água na cidade foi prejudicado. Infelizmente quem paga com tudo isso é a população", disse um morador que prefere não se identificar. 

Procurada pela redação do jornal, a Cedae, concessionária responsável pelo abastecimento de água na cidade informou na manhã de ontem (6) que "o abastecimento foi restabelecido na segunda-feira (5) e já está normalizado. O problema foi causado por interrupção no fornecimento de energia. Devido a queda no fornecimento de energia por parte da concessionária Enel, o sistema sofreu interrupções, no entanto, já está plenamente em atividade", disse. 

A redação também entrou em contato com a Enel - empresa de distribuição de energia elétrica. Mas até o fechamento da edição, o órgão não havia se pronunciado.  

De acordo com informações, a rede de condução de água bruta que chega às residências sai do Rio Macaé, passa pela Severina, pelo Canal do Teimoso, chegando à Aroeira, em frente à Guarda Municipal, onde se encontra com as tubulações instaladas que conduzem a água do rio até a Estação de Tratamento de Água do Morro de Santana. Ali, a água recebe o tratamento adequado, e é direcionada ao Reservatório de Santa Mônica, onde é conduzida através das tubulações para as localidades a serem atendidas com o abastecimento. 

Vale lembrar que na cidade diversos bairros sofrem com a precariedade no abastecimento. Na última semana o Jornal publicou uma matéria em que moradores denunciavam a falta de água nas residências. Entre os bairros prejudicados estavam  Barra, Riviera, Centro, Granja dos Cavaleiros, Nova Esperança, Parque Aeroporto, Vila Badejo, Jardim Vitória, onde a situação é a mesma.  

Na ocasião, quando procurada pela redação do Jornal, a Cedae informou que a concessionária havia finalizado o reparo emergencial no sistema que abastece a região e que o sistema já estava operando e ao longo do dia estará normalizado. 
Nos locais em que a água não chega os moradores são obrigados a recorrer aos caminhões-pipa cujo valor varia entre R$ 35,00 e R$ 40,00. "O problema é que, infelizmente, nem sempre temos esse valor disponível para comprar a água. É uma situação muito complicada e quem paga o preço somos nós. Nessa época do ano, a situação parece que fica ainda pior", disse um morador que prefere não se identificar. 

Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: cidade


publicidade