Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

População cobra a limpeza de canais da cidade

No Botafogo, morador relata que falta de manutenção contribui com os alagamentos na comunidade

Em 07/02/2018 às 18h02


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Morador mostra a situação do Botafogo, localidade que está há um bom tempo sem receber manutenção Morador mostra a situação do Botafogo, localidade que está há um bom tempo sem receber manutenção
Basta chover poucas horas para os moradores de áreas situadas próximos a recursos hídricos ficarem preocupados. Isso porque essas regiões são geralmente afetadas pelas enchentes. Contudo, problemas de alagamentos poderiam ser evitados se medidas simples fossem tomadas. 

Em Macaé, é possível ver que muitos canais e córregos ficam cheios de mato e lixo, situações que contribuem com a elevação do nível da água, resultando no problema relatado pelos cidadãos.

E boa parte do volume retirado dos canais e rios da cidade é resultado do descarte irregular de lixo. Esse fator somado a falta de outros serviços, como desassoreamento e capina das margens, resultam em vários problemas para a própria população que vive nas proximidades. Um exemplo disso ocorre na localidade do Botafogo, na área norte da cidade. 

Preocupado com o risco de enchentes nessa época do ano, quando a incidência de chuvas fortes é alta, um morador procurou o jornal O DEBATE  essa semana em busca de solução para a falta de manutenção no canal que corta a comunidade.

Segundo Adeilton, há tempos não é visto uma equipe da prefeitura no local. "Os canais aqui estão sujos, cheios de mato e lixo.
Se der uma chuva forte novamente vai transbordar tudo. Vai ficar feia a coisa. É uma vergonha. O poder público nada faz. O mínimo era a capina nas margens e nem isso tem sido feito. Quando dá aqueles temporais a população fica assustada, sem saber se vai entrar água em suas casas", relata. 


Um dos pontos críticos fica próximo a ponte. "A grande quantidade de mato está impedindo a passagem da água, formando uma represa. Se aumentar o volume, vai transbordar", alerta. Mesmo sabendo que é dever do poder público, o morador reconhece que falta bom senso de parte dos moradores. "A população em parte tem culpa sim, pois o lixo não foi para ali sozinho", diz.

E a falta de manutenção não se restringe apenas a comunidades carentes de Macaé. Na área nobre também é possível ver que o poder público não tem cumprido com as suas obrigações. 


É o caso do Canal do Capote, no Bairro da Glória. "Eles não fazem a manutenção nesse trecho há um bom tempo. Está tudo cheio de mato, assoreado. Toda vez que chove esse valão transborda, entrando água com esgoto na casa das pessoas. Há anos a gente cobra a urbanização desse canal. Esperamos que isso seja resolvido com as obras do bairro. Enquanto isso, o mínimo que deveriam fazer é a limpeza. Façam jus ao I.P.T.U. caro que nós pagamos aqui", diz a moradora Ana Carla.

"Lembrando que além da sujeira a gente ainda sofre com os mosquitos. Esse valão se torna um criadouro de pernilongos", completa. 

A prefeitura foi procurada pela nossa equipe de reportagem. Segundo a secretaria de Infraestura, a programação de limpeza de canais e capina vem sendo seguida regularmente no município. Entretanto,  o pedido foi encaminhado para que as devidas providências sejam tomadas.  

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Divulgação/ Eu leitor, o repórter


    Compartilhe:

Tags: cidade


publicidade