Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Prefeitura instala placas de balneabilidade

Sinalização tem como objetivo informar os cidadãos sobre as condições das praias

Em 02/02/2018 às 17h26


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Mesmo com sinalização, banhistas se arriscam em praia imprópria Mesmo com sinalização, banhistas se arriscam em praia imprópria
Com o objetivo de informar a população sobre as condições das praias em todo o município, a prefeitura, em colaboração com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), instalou essa semana placas em vários trechos da cidade. 
Segundo a secretaria Municipal de Ambiente e Sustentabilidade, no momento foram implantadas quatro placas, sendo duas na praia de Imbetiba, uma na Praia Campista e outra no Pecado. 

O objetivo é divulgar se a determinada praia está ou não própria para o banho, com base nos resultados divulgados pelo Inea. Nos próximos dias, mais oito deverão ser instaladas em outros pontos. O prazo é de em até 30 dias todas elas estejam disponíveis, segundo a prefeitura. 

Ela ressalta que a medida visa ajudar o cidadão a estar informado, uma vez que a  responsabilidade de sinalizar as praias quanto a balneabilidade é do INEA. 

De acordo com o último boletim divulgado, o de nº 02, do dia 16 de janeiro de 2018, a maioria das praias está imprópria para o banho. São elas: Lagomar, Barreto, Aeroporto, Barra, Forte e Imbetiba. 

Na Praia Campista, o banho deve ser evitado na altura da Avenida Atlântica, nº 1622. Já o trecho em frente a Rua Robert F. Kennedy está próprio, diz o órgão. Estão liberadas sem restrições as praias do Pecado e Cavaleiros. 

Segundo o Inea, a avaliação das condições de balneabilidade das praias é feita com base na resolução CONAMA 274/2000, onde são verificados os níveis de bactérias de origem fecal (coliformes fecais ou enterococos) nessas amostras coletadas de água.

Ou seja, uma praia é considerada imprópria para banho quando dois ou mais resultados dos cinco últimos se encontram acima de 1000NMP/100mL de coliformes ou 100NMP/100mL de enterococos; ou quando o último resultado se apresenta acima de 2500NMP/100mL de coliformes ou 400 NMP/100mL de enterococos (NMP é uma unidade de medida e significa Número Mais Provável).

Ele explica que dentre os diversos fatores que podem afetar na balneabilidade de uma praia podem-se destacar: a localização geográfica da praia (praias no interior de baías e praias oceânicas), a pluviosidade (incidência de chuvas), a proximidade com o deságue de rios e canais, e o extravasamento de galerias pluviais.

Durante o período chuvoso podem ocorrer resultados elevados devidos ao escoamento superficial da água, assim como pela drenagem das galerias pluviais, que tem como destino os rios, lagoas e o mar.

Praia Campista foi outra localidade contemplada com a placa 

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Kaná Manhães/ Marianna Fontes


    Compartilhe:

Tags: cidade


publicidade