Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

O roteiro das Cidades Encantadoras é um os melhores da Europa

Parte Final

Em 01/10/2008 às 16h53


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

A natureza é prospera em Fulda. As paisagens natur A natureza é prospera em Fulda. As paisagens natur

Continuamos nossa viagem pelo circuito chamado "Cidades Encantadoras", na Alemanha. Misturando o antigo e o moderno, as cidades oferecem um verdadeiro festival de cultura, entretenimento e gastronomia que fazem com que o visitante não queira mais voltar para casa.

Na edição passada, conhecemos um pouco dos atrativos de Baden-Baden, Fulda e Füssen.

Agora vamos seguir rumo a Görlitz. A cidade tem apenas 930 anos de idade; está no coração da Europa. Sua posição geográfica estratégica na fronteira polonesa fez com que fosse dividida (Görlitz/Zgorzelec) e ganhasse importância política internacional. Atualmente, a cidade é caracterizada pela arquitetura de seus prédios que abrangem desde o Gótico Tardio, até épocas como Renascença, Barroco, Gründerzeit (Revolução Industrial) e Art Nouveau. São mais de quatro mil edificações protegidas como monumentos nacionais e, por ser um modelo europeu de cidade, o governo de Görlitz apresentou uma proposta para tornar-se a "Cidade Européia da Cultura 2010".

O vilarejo tem muito a oferecer para os amantes de arte e cultura. Na mostra "Search for Silesia", no Museu Silesian, a coleção abrange cinco séculos de expressão artística. Outras exibições importantes podem ser conferidas nos edifícios do Cultural History Museum (Baroque House Neissstrasse 30, Reichenbach Tower, Kaisertrutz). Uma curiosidade é o The Toy Museum que reúne a história da fabricação de brinquedos desde 1850.

Os visitantes podem se divertir ao comprar novas peças em um ambiente completamente Art Nouveau e observar os artesãos desenvolvendo seu trabalho no Centro Antigo. São produzidos, principalmente, design de jóias, pintura de porcelana, além de galerias com tecidos únicos de Görlitz e região. Mensalmente é realizado o famoso "Mercado de Pulgas" e a cidade é conhecida pela sua especialidade: cerveja Landskron da cervejaria oriental mais privada do país.

Seguindo mais um pouco vem Xanten. Por mais de dois mil anos a charmosa cidade do Baixo Reno vem conquistando jovens e adultos. Tudo começou quando os romanos construíram um dos seus maiores povoados da Baixa Germânia. Atualmente, Xanten combina um estilo cosmopolita com uma atitude despojada em ruas medievais em torno de sua Catedral.

Entre as principais atrações estão: Parque Arqueológico de Xanten (APX) nas antigas fundações da cidade romana de Colônia Ulpaia Traiana; Great Thermae (GTX); Museu Regional (RMX) - com exposições periódicas para os amantes da arte; Freizeitzentrum (Centro de Lazer) Xanten - divertidos esportes aquáticos que agradam principalmente o público jovem; Mercados Semanais com produtos locais; aos sábados, os turistas compram gêneros alimentícios no tradicional Viktualienmarkt.

Não poderíamos deixar de mencionar o Schloss Neuschwanstein (Castelo de Neuschwanstein), que fica na chamada Rota Romântica.

O trio composto pela natureza, cultura e hospitalidade faz da Rota Romântica a sua marca registrada a 50 anos. A Rota começa no Main e vai até os Alpes. O nome Romântica vem do sentimento que invade os visitantes ao contemplar as cidades medievais e o incrível Palácio de Neuschwanstein: todos se fascinam e se transportam aos tempos passados.

Neuschwanstein, idealizado em 1868 pelo Rei Ludowico II da Baviera, foi construído em cima de uma rocha. Uma carta do König Ludwig II a Richard Wagner relata o seu sonho da construção deste palácio: "Tenho a intenção de reconstruir a antiga ruina do vale e abismo do Pöllat e no estilo dos antigos cavaleiros." ("Ich habe die Absicht, die alte Burgruine bei der Pöllatschlucht neu aufbauen zu lassen im echten Styl der alten deutschen Ritterburgen").

Neuschwanstein deveria ser um monumento e ao mesmo tempo uma casa de veraneio, onde o rei poderia se proteger caso houvesse algum perigo na cidade de Munique - sua residência.

O amor, carinho e confiança no local eram outros pontos para a realização do projeto. Ludovico II adorava construções e obras - este projeto foi refeito e replanejado não só uma vez para satisfazer as vontades do rei. O pintor Christian Jank deu algumas sugestões para o projeto - para ele, o castelo deveria seguir um estilo gótico antigo (pequenos detalhes), com forma de um monumental "forte romano" e parecido ao Palácio de Wartenburgo na cidade de Eisenach. Neuschwanstein não é nenhuma cópia de um Burgo da Idade Média, mas sim um novo estilo dentro da História.

Em 1869 iniciarem-se as obras. No comando da obra e do planejamento estava nas mãos de Baurat Eduard Riedl; 1874 foi a vez do arquiteto Georg Dollmann ter a responsabilidade. Desde o início o salão de festas - "Hall dos Menestréis" (Sängersaal) era o ambiente mais importante. A idéia de ter um salão do trono veio somente depois e que tomou sua forma final somente em 1881 idealizado por Julius Hofmann, não esquecendo que o Rei Ludovico estava sempre atento aos detalhes de seu castelo. As pinturas de parede eram obras que para o rei eram de maior importância e que deveriam ser perfeitas. Os temas para estas pinturas vinham dos dramas (óperas) do músico Wagner e deveriam constar de acordo com o texto do artista.

Até a morte do rei em 1886 o castelo possuia somente cinco andares, faltava ainda o principal símbolo - o trono - no salão principal.

A saga de Ludovico II e seu novo castelo é apenas uma das histórias que povoam esta região da Europa e são uma mostra daquilo que espera o visitante, misturando boa comida e diversão. Vale a pena conferir. Consulte o seu agente de viagens.

Foto: Divulgação


    Compartilhe:


Mais imagens


publicidade