Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

ANP reforça potencial do fator de recuperação dos campos maduros

Encontro realizado ontem (18) na Alerj expôs também discussão sobre redução da alíquota dos royalties

Em 19/09/2017 às 17h55


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Dr. Aluízio, o diretor geral da ANP Décio Oddone e o deputado Chico Machado Dr. Aluízio, o diretor geral da ANP Décio Oddone e o deputado Chico Machado
O potencial de produção e geração de negócios previstos a partir da revitalização das reservas maduras da Bacia de Campos voltou a ser destacado ontem (18) pelo diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Décio Oddone, durante a audiência pública promovida pela Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Oddone apontou que a Agência trabalha na proposta de revisão da alíquota dos royalties sobre o petróleo extraído a partir da recuperação do potencial de produção dessas reservas, uma medida prevista em legislação federal que cria e revigora investimentos de empresas offshore, na principal área de operações de óleo e gás do país.

Segundo a ANP, a revisão da alíquota dos royalties será analisada caso a caso, de acordo com o fator de recuperação e o nível de produção de cada reserva madura, em operação atualmente na Bacia de Campos. A margem de redução da incidência dos royalties é de 5% (mínimo) e 10% (máximo).

A audiência foi promovida pela Alerj com objetivo de avaliar o novo viés do mercado do petróleo nacional e contou com a participação do prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (PMDB) e representantes das prefeituras de Campos, Quissamã e São João da Barra, além da Petrobras.

Macaé vem defendendo a revisão da alíquota dos royalties sobre o petróleo novo, extraído das reservas maduras, a partir da revitalização do processo de produção, medida que garantiria o retorno imediato de negócios para a cadeia offshore e a geração de postos de trabalho.

"Acreditamos que esse é o caminho. Não há plano B", destacou o prefeito de Macaé.
O encontro foi conduzido pelo vice-presidente da Comissão, o deputado Carlos Roberto Osório (PSDB), e contou também com a contribuição do deputado estadual macaense Chico Machado (PDT).

"O que está em pauta é a sustentabilidade econômica de Macaé e da nossa região. E a Alerj deu a sua contribuição para demonstrar o que as cidades da região podem esperar sobre o futuro do petróleo", disse Chico.

Autor: Márcio Siqueira

Foto: Divulgação


    Compartilhe:

Tags: economia


publicidade