Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Macaé ocupa posição de destaque no Mapa do Turismo do Estado

Município integra região que concentra grande fluxo de turistas domésticos e internacionais

Em 15/09/2017 às 18h31


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Belezas naturais de Macaé encantam turistas domésticos, internacionais e de negócios Belezas naturais de Macaé encantam turistas domésticos, internacionais e de negócios
Ao lado de cidades como Armação dos Búzios, Cabo Frio, Arraial do Cabo, Rio das Ostras e Casimiro de Abreu, Macaé ocupa posição de destaque no Mapa do Turismo do Rio de Janeiro, atualizado através de novo estudo divulgado ontem (14) pelo Ministério do Turismo.

De acordo com a avaliação, a Capital Nacional do Petróleo integra a região da "Costa do Sol" que concentra um grande fluxo de turistas doméstico e internacional, um perfil diferenciado da cidade em virtude da dinâmica do mercado offshore.
No Mapa, Macaé segue a classificação de categoria B, ao lado de Arraial do Cabo e de Rio das Ostras. Já Búzios e Cabo Frio, principais destinos turísticos da Região dos Lagos, seguem na categoria A.

Casimiro de Abreu, conhecida por belezas naturais com referências da matas e cachoeiras, segue na categoria C.
Juntas, as categorias A, B e C representam as cidades que concentram o maior fluxo de turistas.

Também pertencem a "Costa do Sol", Quissamã, classificada na categoria D e Carapebus, na categoria E. De acordo com o Mapa, esses destinos não possuem fluxo turístico nacional e internacional expressivo, mas cumprem papel importante no fluxo turístico regional e precisam de apoio para o desenvolvimento do setor.

A classificação em categorias, prevista no Mapa do Turismo, segue as diretrizes estabelecidas pela portaria 144 do Ministério do Turismo, publicada em 27 de agosto de 2015. Segundo a normativa, essa categorização leva em conta o número de estabelecimentos formais cuja atividade principal é hospedagem e o número de empregos formais no setor de hospedagem, baseados na Relação Anual de Informações Sociais - RAIS do Ministério do Trabalho e Emprego.

Além disso, a categorização considera também a estimativa de turistas a partir do Estudo de Demanda Doméstica (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE/Ministério do Turismo); e IV - estimativa de turistas a partir do Estudo de Demanda Internacional.

Autor: Márco Siqueira marcio@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: economia


publicidade