Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Revitalização de campos maduros ganha espaço no plenário da Alerj

Chico Machado expõe mobilização de Macaé em expediente político da Assembleia Legislativa

Em 23/08/2017 às 12h27


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Chico Machado defendeu proposta de revitalização de campos maduros Chico Machado defendeu proposta de revitalização de campos maduros
"A luta é pela geração de emprego para a população macaense e da região". Ao evocar a proposta de revitalização dos campos maduros, o deputado estadual Chico Machado (PDT) expôs ontem, no espaço político da sessão ordinária da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), o principal foco da mobilização iniciada por Macaé, que visa transformar o potencial geológico da Bacia de Campos em um novo ciclo de prosperidade para a Capital Nacional do Petróleo.

No expediente final da sessão, Chico afirmou que a Alerj precisa acompanhar as discussões referentes à atualização das regras do petróleo nacional, seja sobre a lei federal 9478/97 que define as diretrizes da política energética federal, seja sobre a defesa "royalties por emprego", que faz parte da agenda criada pelo prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (PMDB), junto a Petrobras e a Agência Nacional do Petróleo (ANP). 

"Emprego não tem partido, não tem discussão política, não tem visão individual. Emprego muda a vida das pessoas, a rotina da nossa cidade e do país. Sob essa ótica, nós precisamos acompanhar essas discussões, e enxergar o que está sendo dito por quem entende da dinâmica do petróleo. Macaé possui esse direito, por registrar 40 anos de suporte à produção da Bacia de Campos e por ser o polo de geração de investimentos e negócios que mudaram a realidade de todas as outras cidades do Norte Fluminense", disse Chico.

O deputado apontou também a sua visão sobre a proposta de redução da alíquota dos royalties, com base na elevação do fator de produção dos campos maduros, uma estratégia já destacada pela Petrobras como importante para elevar e renovar a manutenção de contratos de concessão de reservas situadas na Bacia de Campos.

"O que nós já temos (royalties e Participação Especial) é preciso manter. E o excedente será a fonte de novos investimentos, mais negócios e milhares de postos de trabalho. Essa matemática é a garantia de sobrevida da Bacia de Campos, como pilar do mercado do petróleo nacional. E a proposta ajuda também a manter a operação em regiões que perderiam espaço para o pré-sal", avaliou Chico Machado.

Autor: Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

Foto: Divulgação


    Compartilhe:

Tags: economia


publicidade