Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Instituto de Pesquisa IPP aponta O DEBATE como líder com 59,15%

Trabalho de campo realizado entre comerciantes, empresários e comerciários em julho deste ano, aponta índice de 43,10% na preferência e primeiro lugar deste jornal à frente de O Globo com 10,52%

Em 08/07/2017 às 15h03


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte



O jornal O DEBATE, igual aos anos anteriores, vem conseguindo manter a preferência do público consumidor para com o comércio local, obtendo na pesquisa realizada entre os dias 01 a 18 de maio de 2017 o índice de 59,15% de preferência do público de Macaé, disparado na frente de outras mídias em circulação na cidade.
Na avaliação local, O DEBATE segue na frente absoluto dos jornais Costa do Sol (07,04%), Expresso Regional (01,04%), superando ainda outras opções apontadas pelos entrevistados (28,19%).

O DEBATE lidera também a preferência do público macaense, na comparação que inclui ainda jornais de circulação nacional. Nesta amostragem, o jornal obteve 43,10%, na frente de O Globo (10,52%), Extra (06,36%), O DIA (05,26%), Costa do Sol (04,21%), e Meia Hora (04,21%).

A informação e todo o material da pesquisa realizada foi entregue ao Diretor de O DEBATE, jornalista Oscar Pires, na última quarta-feira (05), pelo diretor do Instituto Pesquisas e Promoções - IPP, Ugo Luiz Motroni Marins, também responsável pelo Departamento de Pesquisas. O trabalho acompanhado de diversos gráficos apontando o Relatório Comparativo, Pesquisa e Amostragem comparando 2016 com 2017, Público-Alvo, Índice de Participação (share), Análise dos Principais Bairros e do Grau de Satisfação, Perfil por idade, escolaridade, proprietário, funcionário, masculino/feminino que detalha todo o histórico em dois Dvd´s contendo as inúmeras informações detalhadas, comprova a seriedade da pesquisa realizada todos os anos, não só neste município mas em quase todo o país.

"Faço questão de entregar este material pessoalmente porque as informações são alvo de um programa de qualidade com método de análise quantitativa pré-estabelecida. A metodologia compreende a amostragem estratificada por sexo, idade e escolaridade com sorteio aleatório dos entrevistados", disse Ugo Luiz Motroni Marins, membro da Sociedade Brasileira de Pesquisa de Mercado.

A pesquisa "Programa de Qualidade Cliente Satisfeito" é um estudo de opinião pública que se diferencia por levantar de forma simultânea os índices de Preferência (Top of Preference) e Lembrança (Top of Mind) de marcas e nomes comerciais distribuídos em mais de 100 categorias de produtos, serviços e empresas. O projeto foi concebido e é executado pela IPP - Impacto Pesquisas, empresa brasileira focada na identificação e gestão de informações estratégicas.

Programa Cliente Satisfeito

Ugo Luiz Motroni Marins é o diretor do Instituto Pesquisas e Promoções - IPP



O estudo, segundo Ugo Luiz Motroni Marins, é do tipo tracking, onde as informações são levantadas anualmente junto aos empresários, executivos e profissionais liberais de todas as regiões de Macaé (RJ), através de amostragem estratificada e com sorteio aleatório dos entrevistados. Os cuidados metodológicos adotados pela IPP, somados ao elevado número de categorias avaliadas tanto em lembranças como em preferência, associadas à alta qualificação do público pesquisado como decisores e influenciadores de mercado, fazem do projeto Programa Cliente Satisfeito o mais abrangente estudo de marcas já realizado em Macaé (RJ), reconhecido pelos mais experimentados profissionais e especialistas de marketing e gestão do país.

Ugo Luiz Motroni Marins explica que: "Os questionários preenchidos pelos entrevistadores sofrem fiscalização em 20% para verificação de dados e consistência de quotas amostrais. A filtragem é de 100% e os resultados com diferença de até 04% pontos percentuais são considerados empate técnico. O intervalo de confiança é de 95%. Isso significa que se o mesmo estudo fosse realizado simultaneamente 100 vezes, em 95 dos casos os resultados estariam dentro da margem apresentada nesta pesquisa.

O estudo é dirigido pelo consultor de marketing, Ugo Luiz Marins, membro da Associação Brasileira de Pesquisas de Mercado, sendo que os dados foram processados em ambiente informatizado e os resultados de gráficos ou tabelas que não totalizem 100% são decorrentes de arredondamento de cálculo.

Gráficos mostram realidade da preferência

Nas várias análises em que o jornal O DEBATE detém a preferência do mercado, entre os três primeiros colocados, a pesquisa de mercado feita este ano pelo Instituto Impacto seguiu os seguintes padrões de seleção de amostragem. Regiões pesquisadas: Centro, Miramar, Aroeira, Praia Campista, Cavaleiros, Sol y Mar, Visconde de Araújo, Novo Cavaleiros, Barra, Aeroporto e Cancela Preta. O público-alvo foram comerciantes, empresários e comerciários, entre o período de 1 a 18/05/17 e o universo da pesquisa estimado é de 790/810 pesquisados, incluindo as classes A, B, B.C, com margem de erro de 03,50% para mais ou para menos.

Não computando outros jornais que não têm como origem a cidade de Macaé, a pesquisa aponta resultado mais expressivo. O argumento da abordagem foi:  "Aponte as empresas e profissionais liberais que, em sua opinião, no período de um ano lhe prestou a melhor qualidade e melhor atendimento na cidade de Macaé".  Os números apontaram 80,20% para O DEBATE, 9,90% para Costa do Sol, 1,98% Expresso Regional, 1,98% demais colocados e 6% sem opção. Essa amostragem leva em consideração apenas os votos válidos.

No relatório comparativo, análise dos três primeiros colocados, demais colocados e nulos, comparados com 2016, O DEBATE continuou mantendo a liderança. Ugo Luiz Marins explica que, antes de iniciar uma pesquisa, a Impacto sabe quantas pessoas vai ouvir e o perfil de cada grupo, para que o conjunto de entrevistados sejam representados na amostra de forma proporcional.

Antes de sair às ruas, os entrevistadores sabem quantas pessoas em cada lugar têm de ouvir e quais os lugares. Estando lá, o entrevistador escolhe aleatoriamente os entrevistados. O objetivo é que a amostra seja representativa do universo total. Dessa forma, os resultados obtidos na pesquisa podem ser estatisticamente ampliados para todo o universo utilizado na região de Macaé.

O público-alvo é o comércio, indústria e profissionais liberais. A procura desse perfil de público decorre da necessidade de uma avaliação mais crítica sobre o mercado como um todo, tendo em vista que esta fonte de informações antes de prestador de serviço é um consumidor, e por isso sofre o peso da exigência de qualidade quando ele prestador de serviços repassa esta mesma carga de exigência quando consumidor.

No índice de participação (share), que indica a participação que tem uma determinada empresa dentro do total de preferência em sua área, neste caso levado em consideração apenas os votos válidos, O DEBATE aparece sempre na liderança. Na análise dos votos nos principais bairros e regiões, O DEBATE alcança também elevados índices no centro e região, na Praia Campista e Cavaleiros, no Sol y Mar e Visconde, no Miramar e Aroeira, no Aeroporto e região e na Barra e região.

Quanto à análise do grau de satisfação, que informa o índice de satisfação que seu cliente obteve ao contatar sua empresa, O DEBATE alcança também os índices de excelente, muito bom, bom e regular No perfil idade, escolaridade, proprietário/funcionário, masculino/feminino, este jornal aponta também os maiores índices. O índice de preferência por O DEBATE aponta que 46% de proprietários e 54% de funcionários de empresas e é preferido por 56% do sexo masculino e 44% do sexo feminino.

Números na pesquisa surpreendem

Quando o pesquisador quis saber se o entrevistado costumava fazer compras pela internet 35% responderam que sempre, 45% às vezes, 20% que nunca pratica esta ação. Na preferência dos que usam a internet para compras estão eletroeletrônicos, eletrodomésticos, calçados, roupas, livros, viagens, perfumes e outros. Também 65% afirmaram ter filhos, e o atendimento à cidade revela que 17% dizem que é ótimo e 27% bom, contra 25% regular e 13% ruim.

Ao abordar os entrevistados, o IPP - Pesquisa de Mercado informa que 94% possuem carro contra 6% que não são proprietários. Costume de fazer compras fora da cidade apontou que 55% o fazem, contra 45% não. Quando o entrevistador quis saber por que 30% disseram que os preços são melhores, 29% pela falta de variedades, 21% a passeio e 16% melhor atendimento.

O pesquisador também quis saber o que tem de melhor nos jornais escritos de Macaé, 33% indicou notícias da cidade, 17% anúncios classificados, 18% informes políticos seguido de notícias automotivas, esportes e coluna social. Quando o entrevistado teve de responder o que falta 243% mais participação da comunidade, 23% mais classificados e empregos, 13% mais notícias esportivas, 9% mais informações culturais, dentre outros. Considerando o perfil dos leitores, 80% disseram ler O DEBATE regularmente e 20% esporadicamente.

O que falta no comércio de sua cidade? Pergunta que encerra a pesquisa mostra que os entrevistados desejam melhor atendimento (21%), mais estacionamento (17%), lazer (17%), mais segurança (14%), mais investimento no comércio (8%) e mais variedade (9%).

O resultado da pesquisa será divulgada pela Tv Globo nos dias 8, 9, 10, 11, 12 e 13, nos intervalos dos programas Bom Dia Brasil, Bom Dia Rio, É de Casa, Mais Você, RJ-TV e Temperatura Máxima.

Ao receber o material das mãos do pesquisador Ugo Luiz Motroni Marins, membro da Sociedade Brasileira de Pesquisa de Mercado, o diretor de O DEBATE, jornalista Oscar Pires, agradeceu e no final lembrou Mahatma Gandi ao dar lição de vida, quando declarou: "Prestarei o melhor serviço de que sou capaz, porque jurei a mim mesmo triunfar na vida, e sei que o triunfo é sempre resultado do esforço consciente e eficaz", acentuou.

Autor: O DEBATE

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: geral


publicidade