Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Operação Rapalla: Três presos pela PF

Após a prisão de integrantes do tráfico na manhã de hoje, na Malvinas, equipes da Polícia Federal vasculham neste momento a comunidade Nova Holanda

Em 11/11/2013 às 15h55


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Ontem (11) os policiais operaram na Malvinas e na Nova Holanda, onde entraram em algumas casas e interrogaram suspeitos Ontem (11) os policiais operaram na Malvinas e na Nova Holanda, onde entraram em algumas casas e interrogaram suspeitos

Três homens foram presos durante a operação Rapalla da Polícia Federal, iniciada na manhã de ontem, com o objetivo de exterminar o tráfico de drogas e desarticular a facção ADA em Macaé. As prisões foram feitas em cumprimento ao mandado de prisão expedido pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Macaé, Wycliffe de Melo Couto. 

Victor Rodrigues Tavares, de 18 anos, conhecido como "Mata Rindo", recebeu voz de prisão na Clínica São Lucas, no Centro, onde estava internado desde sexta-feira (8), após se ferir em um confronto com policiais militares na Malvinas. 

Valder Fábio da Silva, de 33 anos, Romário Botelho Ramalho, 24 anos foram presos em suas residências, na Malvinas. Os três serão indiciados por associação ao tráfico, formação de quadrilha e tráfico de entorpecentes. Se forem condenados poderão pegar até 15 anos de detenção. Até que suas sentenças sejam definidas, Victor, Valder e Romário ficarão no presídio Carlos Tynoco da Fonseca, em Campos dos Goytacazes.

A Polícia Federal apertou o cerco no combate ao tráfico de drogas, disponibilizando homens da elite do grupo de pronta intervenção, que vieram da capital para auxiliar os agentes de Macaé e reforçar a segurança. A operação conta com a participação do Ministério Público para cumprir 43 mandados de prisão, 14 de busca e apreensão relacionadas ao tráfico e outros 5 mandados de apreensão de veículos. Os agentes já visitaram várias comunidades de Macaé e pularam o muro de alguns imóveis, vasculhando locais apontados como possíveis esconderijos de bandidos.

Motociclistas que passavam pelas ruas das comunidades também estão sendo revistados. Ontem (11) os policiais operaram na Malvinas e na Nova Holanda, onde entraram em algumas casas e interrogaram suspeitos. Em uma delas, os agentes permaneceram por mais de uma hora a portas fechadas. Um homem foi levado para prestar depoimento na delegacia da Polícia Federal.

De acordo com o delegado titular da PF, Júlio César Ribeiro, as prisões realizadas na operação Rapalla representam um enfraquecimento do tráfico da cidade. " Cada um deles exercem funções essenciais no comércio de entorpecentes, eles não são soldados da linha de frente, são peças fundamentais em um escala hierárquica. Só encerraremos esta operação quando conseguirmos prender todos os suspeitos. Toda quadrilha vem sendo investigada desde 2010", enfatizou Ribeiro.


 


Autor: Bertha Muniz/ berthamuniz@odebateon.com.br

Foto: ReproduçãoTV/Record


    Compartilhe:


publicidade